Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Petrolíferas impulsionam praças europeias

As principais praças europeias seguiam a valorizar, impulsionadas pelas companhias petrolíferas que beneficiavam dos elevados preços do petróleo nos mercados internacionais. O Dow Jones Stoxx 50 ganhava 0,42% para os 3.570,35 pontos.

Paulo Moutinho 21 de Abril de 2006 às 11:25
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

As principais praças europeias seguiam a valorizar, impulsionadas pelas companhias petrolíferas que beneficiavam dos elevados preços do petróleo nos mercados internacionais. O Dow Jones Stoxx 50 ganhava 0,42% para os 3.570,35 pontos.

O AEX [aex] registava a maior valorização entre as congéneres, com uma subida de 0,78% para os 476,31 pontos, depois de ter renovado o máximo de 2002 durante o início da negociação. O índice de Amesterdão beneficiava da subida de 1,94% da petrolífera Shell e da valorização de 1,15% da Unilever, que seguia a negociar nos 57,35 euros.

A petrolífera Total ganhava 1,03% para os 226,1 euros e levava o CAC [cac] a registar uma subida de 0,66% para os 5.241,16 pontos. A contribuir para os ganhos do principal índice francês estava também o BNP Paribas que avançava 0,80% para os 75,5 euros.

No DAX [dax], a RWE apreciava 1,46% para os 73,87 euros com notícias de que a eléctrica alemã estará próxima de chegar a acordo com a Gazprom para a exploração conjunta de um campo de gás natural. Os ganhos da terceira maior «utility» europeia levavam o índice germânico a apreciar 0,53% para os 6.095,38 pontos, depois de atingir o valor mais elevado desde 2001 ao tocar nos 6.103 pontos.

As petrolíferas BP e Shell lideravam os ganhos no FTSE [ukx]. A BP subia 0,93% para os 707 pence e a Shell ganhava 1,42% para os 1.932 pence, levando o índice britânico a valorizar 0,47% para os 6.110,10 pontos.

A Repsol apreciava 0,59% para os 23,86 euros e contribuía para a subida de 0,45% do IBEX [ibex], que seguia nos 11.836,20 pontos, numa sessão em que o banco Santander e o BBVA registavam ganhos de 1,43% e 0,77%, respectivamente.

Ver comentários
Outras Notícias