Bolsa Pharol, EDP e Nos levam Lisboa a ganhos, quase isolada na Europa

Pharol, EDP e Nos levam Lisboa a ganhos, quase isolada na Europa

Apesar de um arranque no vermelho, as negociações na bolsa portuguesa inverteram para ganhos, em contraciclo com o resto das praças europeias, onde as acções caem pela primeira vez em seis dias.
Pharol, EDP e Nos levam Lisboa a ganhos, quase isolada na Europa
Bruno Simão/Negócios
Paulo Zacarias Gomes 13 de setembro de 2017 às 09:01
A praça portuguesa inverteu para valorizações nos primeiros minutos de negociação, avançando pelo quarto dia à boleia dos ganhos de títulos como a Pharol, EDP e Nos e apesar da queda do BCP.

O PSI-20 valoriza inicia 0,32% para 5.154,67 pontos esta quarta-feira, 13 de Setembro, com a principal accionista da Oi a liderar os ganhos ao subir 4,23% para 0,32 euros. Doze títulos apresentam ganhos, cinco estão em queda e a Novabase está inalterada em 3,196 euros.

Suspensa continua a negociação das unidades de participação do Montepio, numa altura em que se aguarda pela transformação em sociedade anónima, o que levará à saída de bolsa.

A Mota-Engil ganha 2,13% para 2,736 euros depois da forte valorização de ontem, dia em que foi confirmado que a construtora assegurou contratos de 320 milhões na área dos resíduos da Costa do Marfim.

Numa nota de análise divulgada esta manhã, os analistas do CaixaBI consideram que são notícias positivas para a empresa, "mostrando o seu dinamismo e capacidade de entrar em novos mercados, numa área de negócio que tipicamente garante alguma estabilidade na evolução das receitas e têm uma margem EBITDA elevada".

Também a EDP aprecia - 0,72% para 3,345 euros - depois de o jornal espanhol Expansión noticiar a existência de contactos entre Isidro Fainé, o líder da Gas Natural, e a China Three Gorges, maior accionista da EDP. Há dois meses surgiram rumores de contactos entre as duas empresas tendentes a uma possível fusão, o que foi negado por ambas as companhias.

Nos e Sonae também acompanham as valorizações, superiores a 0,5%. A Semapa soma 0,2% para 15,145 euros, um dia depois de ter sido anunciado que o Norges Bank deixou de ter participação qualificada na empresa.  

Em manhã de desvalorização ligeira dos preços do barril de petróleo em Nova Iorque (acima dos 48 dólares) e em Londres (acima dos 54 dólares), a Galp cai 0,04% para 14,255 euros.

Já os títulos do BCP recuam 0,05% para 0,2099 euros, após ontem terem fechado a ganhar mais de 4%.

O início negativo da sessão na Europa sucede a um fecho misto nos principais mercados asiáticos, onde as acções ainda assim voltaram a tocar um máximo de 10 anos apesar da queda verificada nos títulos de muitos fornecedores dos novos iPhone, depois da apresentação dos modelos esta terça-feira.

A tomada de mais-valias ocorre ainda num cenário de desafio da Coreia do Norte à aprovação de novas sanções a Pyongyang - que promete "duplicar esforços" para aumentar a sua força em resposta às penalizações - e numa altura em que decorre a intervenção do presidente da Comissão Europeia no âmbito do estado da União, perante o Parlamento Europeu.



Marketing Automation certified by E-GOI