Bolsa Powell, petróleo e inflação animam Wall Street. Dow supera 27 mil pontos pela primeira vez

Powell, petróleo e inflação animam Wall Street. Dow supera 27 mil pontos pela primeira vez

As bolsas continuam a ser suportadas pelas expectativas dos investidores em torno do corte de juros por parte da Fed. Também os dados da inflação e a valorização do petróleo estão a impulsionar os mercados.
Powell, petróleo e inflação animam Wall Street. Dow supera 27 mil pontos pela primeira vez
Reuters
Rafaela Burd Relvas 11 de julho de 2019 às 14:37
As bolsas norte-americanas voltaram a abrir no verde esta quinta-feira, 11 de julho, a negociarem em alta pela terceira sessão consecutiva. As principais praças de Wall Street continuam a ser suportadas pelo ânimo dos investidores com as declarações do presidente da Reserva Federal, estando ainda a ser impulsionadas pelos mais recentes dados da inflação nos Estados Unidos, que ficou acima do que era esperado.

O S&P 500 está a valorizar 0,21% para os 2.999,27 pontos. Os analistas esperam que o índice de referência volte a tocar na marca histórica dos 3 mil pontos, depois de ter superado essa fasquia pela primeira vez na última sessão. Já o tecnológico Nasdaq avança 0,19% para os 8.218,20 pontos, enquanto o Dow Jones abriu a ganhar 0,35% para os 26.954,88 pontos. Entretanto, o índice industrial chegou a superar pela primeira vez a fasquia dos 27 mil pontos, tocando um máximo de 27.007,86 pontos, tendo já voltado a baixar deste nível.

A justificar este desempenho continua a estar a mensagem transmitida na quarta-feira pela Fed, de que está pronta para diminuir a taxa de juro diretora dos Estados Unidos. O discurso de Jerome Powell perante o Congresso norte-americano, onde admitiu preocupações em torno da política comercial e da fraca evolução da economia global, convenceu investidores e analistas de que os juros deverão ser cortados ainda no final deste mês.

Também os dados mais recentes da inflação estão a dar força aos índices acionistas. Os preços nos Estados Unidos aumentaram 0,1% em junho, uma variação ligeira que, ainda assim, superou as expectativas, que apontavam para que não houvesse qualquer subida dos preços nesse mês.

Ao mesmo tempo, este movimento das bolsas norte-americanas está a ser impulsionado, sobretudo, pelas cotadas do setor energético, num dia em que o petróleo regista ganhos nos mercados internacionais. Os preços da matéria-prima estão a subir ainda na sequência da redução das reservas nos Estados Unidos, que foi mais acentuada do que era antecipado, bem como devido a uma tempestade na zona do Golfo do México, que obrigou à retirada de trabalhadores das plataformas de prospeção no mar.

Neste contexto, o West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, segue a valorizar perto de 0,3% para os 60,60 dólares por barril, naquela que é já a sexta sessão consecutiva de ganhos. Já o índice que reúne as maiores cotadas do setor petrolífero em Wall Street está a valorizar mais de 2%.

Notícia atualizada às 14h53 com informação de que o Dow Jones superou os 27 mil pontos.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI