Bolsa PSI-20 arranca 2019 com o pé direito ao subir 0,2%

PSI-20 arranca 2019 com o pé direito ao subir 0,2%

Na primeira sessão do ano novo, a bolsa nacional valorizou, mantendo a recuperação depois de ter atingido mínimos de fevereiro de 2017.
Tiago Varzim 02 de janeiro de 2019 às 16:40
Desde 2014 que não se registava um ano tão penalizador para a bolsa nacional como 2018. No entanto, a entrada em 2019 foi com o pé direito. Na primeira sessão do ano, o PSI-20, o índice de referência em Portugal, subiu 0,2% para os 4.740,85 pontos numa sessão em que as bolsas europeias estão mistas. 

O arranque do PSI-20 esta quarta-feira, 2 de Janeiro, foi negativo, tendo chegado a perder mais de 1%. Contudo, a bolsa inverteu e fechou no verde, mantendo a recuperação depois de atingir mínimos de fevereiro de 2017 no final do ano passado. A contribuir para a terceira subida consecutiva da praça lisboeta estiveram a Altri e a Galp, duas das treze cotadas que subiram nesta sessão.

A nível internacional, o rumo dos mercados difere. 2018 foi o pior ano desde a crise financeira tanto para Wall Street como para as bolsas europeias. No primeiro dia do novo ano, na Europa as praças dividem-se entre o vermelho e o verde - o Stoxx 600, o índice que agrega as 600 principais cotadas europeias, perde 0,13% para os 337,20 pontos. Já nos Estados Unidos a negociação arrancou em baixa, mas também já está mista.  

A pesar na negociação desta sessão estão os indicadores económicos que chegam da China. A atividade industrial chinesa contraiu pela primeira vez em 19 meses, um sinal preocupante face à esperada desaceleração económica a nível global neste novo ano. 

O PSI-20 negociou em máximos de duas semanas, beneficiando das valorizações da Altri e da Galp. A cotada do sector do papel foi a cotada que mais subiu nesta sessão, depois de em 2018 a Altri ter sido a cotada que mais valorizou. A empresa valorizou 2,59% para os 5,95 euros.

No caso da Galp a subida acontece no dia em que o petróleo recupera mais de 4% e em que o banco de investimento Bernstein escolheu a petrolífera portuguesa como uma das suas três preferidas da Europa. A petrolífera somou 1,92% para os 14,06 euros.

Pela negativa o destaque vai para a EDP. As ações da elétrica nacional desceram 1,61% para os 3 euros. A Semapa perdeu 1,22% para os 12,94 euros, a Jerónimo Martins cedeu 0,39% para os 10,3 euros e o BCP deslizou 0,39% para os 22,86 cêntimos. 

Fora do PSI-20 destaque para as ações da Inapa que - depois de quedas acentuadas nas últimas sessões do ano - recuperaram 15,62% para os 74 cêntimos numa só sessão.

(Notícia actualizada às 17h05 com mais informação)



Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI