Bolsa PSI-20 cai pelo quarto mês, a mais longa série de perdas desde 2016

PSI-20 cai pelo quarto mês, a mais longa série de perdas desde 2016

A bolsa nacional encerrou em alta pela terceira sessão, mas fechou o mês de Novembro com um saldo negativo: acumulou uma desvalorização de quase 2,5%, naquele que foi já o quarto mês de quedas.
A carregar o vídeo ...
Rita Faria 30 de novembro de 2018 às 16:53

A bolsa nacional encerrou em alta ligeira esta sexta-feira, 30 de Novembro, naquela que foi a terceira sessão consecutiva de ganhos. Com oito cotadas em alta, nove em queda e uma inalterada, o PSI-20 valorizou 0,18% para 4.914,14 pontos. Ainda assim, o balanço do mês é negativo para o principal índice nacional, que acumulou uma desvalorização de quase 2,5% em Novembro.

Lisboa contrariou a tendência negativa dos principais índices europeus, numa altura em que os investidores estão expectantes em relação à reunião entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o seu homólogo chinês, Xi Jinping, este sábado, em Buenos Aires, à margem da cimeira do G20.

O encontro entre os dois líderes tem gerado muitas expectativas, devido à possibilidade de ser alcançado um acordo que possa pôr fim à guerra de tarifas entre as duas maiores economias do mundo.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, cai 0,13% para 357,64 pontos, penalizado sobretudo pelo sector do retalho e automóvel.

Por cá, os ganhos foram impulsionados pela Nos, EDP e Galp Energia. A operadora liderada por Miguel Almeida somou 2,24% para 5,485 euros, a EDP valorizou 0,55% para 3,087 euros e a Galp Energia ganhou 0,52% para 14,515 euros. Esta evolução da petrolífera nacional acontece no dia em que o regulador da concorrência de Espanha aplicou uma multa de 80 mil euros à Galp Gas Natural por manipulação do mercado.

Ainda na energia, a EDP Renováveis somou 0,59% para 7,70 euros e a REN subiu 0,17% para 2,408 euros.

A contribuir para a tendência positiva do PSI-20 estiveram também o BCP e a Mota-Engil, com subidas de 0,24% para 24,81 cêntimos e 1,19% para 1,702 euros, respectivamente.

Pasta e papel lideram perdas em Novembro

Apesar das subidas registadas nas últimas sessões, o PSI-20 completou, em Novembro, o quarto mês consecutivo de perdas, a mais longa série de desvalorizações mensais desde Fevereiro de 2016.

O principal índice nacional acumulou uma descida de 2,32%, depois das perdas de 6,13%, 1,17% e 3,51% registadas nos três meses anteriores.  

A liderar as descidas em Novembro estiveram as cotadas do sector da pasta e do papel, com a Altri a perder 17,05%, a Semapa 16,81% e a Navigator 15,82%.

Entre os piores desempenhos contam-se ainda a Jerónimo Martins e a Sonae, com quedas acumuladas de 8,47% e 5,16%, respectivamente. 

Do outro lado da contabilização, destaca-se a Pharol, que fecha o mês com uma subida acumulada de 24,83%. 




Marketing Automation certified by E-GOI