Bolsa PSI-20 cai pelo segundo dia com BCP a perder 1%

PSI-20 cai pelo segundo dia com BCP a perder 1%

A bolsa lisboeta negociou em terreno negativo pela segunda sessão consecutiva, sobretudo penalizada pelo BCP e em linha com as quedas registadas na generalidade das praças europeias.
PSI-20 cai pelo segundo dia com BCP a perder 1%
Miguel Baltazar
David Santiago 11 de novembro de 2019 às 16:41

O índice PSI-20 encerrou a sessão desta segunda-feira, 11 de novembro, a perder 0,19% para 5.294,47 pontos, com 10 cotadas em alta, sete em queda e uma inalterada no valor de fecho da passada sexta-feira, no segundo dia seguido em a transacionar no vermelho.


A bolsa nacional acompanhou as perdas também registadas pela generalidade das bolsas europeias, numa sessão em que o setor das matérias-primas foi o que mais pressionou e em que o setor dos media ajudou a impedir uma maior descida do índice de referência Stoxx600.


Depois dos recordes alcançados, na semana passada, tanto na Europa como em Wall Street, devido às notícias sobre um acordo entre os Estados Unidos e a China para o levantamento gradual das tarifas aduaneiras mutuamente impostas, o pessimismo regressou à negociação de um acordo comercial entre as duas maiorias economias mundiais.


Porém, este fim de semana, o presidente norte-americano, Donald Trump, classificou como "incorretas" essas notícias e assegurou que Washington e Pequim, renovando o pessimismo quanto às perspetivas de um acordo capaz de pôr fim à espiral protecionistas entre os dois países.


Este pessimismo refletiu-se na fuga dos investidores face aos mercados bolsistas, com as matérias-primas a serem o setor mais prejudicado dado o receio de que a disputa comercial em curso impacte negativamente os níveis de procura por bens destinados à respetiva transformação industrial.


Por cá, o BCP foi a cotada que mais pressionou. O banco liderado por Miguel Maya recuou 1,02% para 0,2143 euros. Ainda a penalizar estiveram os CTT, que desvalorizaram 3,43% para 3,044 euros, corrigindo assim dos ganhos acentuados ao longo da última semana, o que permitiu aos correios nacionais ter fechado a última semana com o melhor ciclo semanal de sempre

Continuando do lado das quedas, nota negativa ainda para a Jerónimo Martins (-0,55% para 15,33 euros) e para a EDP Renováveis (-0,58% para 10,22 euros).

Quer o setor do retalho quer o da energia transacionaram sem tendência definida. Isto porque a Sonae somou 0,75% para 0,936 euros, enquanto a EDP ganhou 0,14% para 3,690 euros, a Galp Energia deslizou 0,27% para 14,90 euros.

Já a REN fechou inalterada nos 2,75 euros numa sessão em que chegou a tocar na cotação mais alta desde maio de 2017.

A impedir uma queda maior da bolsa lisboeta esteve o setor do papel. A Altri ganhou 1,09% para 6,045 euros, numa sessão em que a papeleira negociou nos 6,11 euros (máximo de 30 de setembro), a Navigator cresceu 0,73% para 3,586 euros e a Semapa avançou 0,29% para 13,70 euros.

(Notícia atualizada às 16:50)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI