Bolsa PSI-20 de novo no vermelho com Galp a cair mais de 2%

PSI-20 de novo no vermelho com Galp a cair mais de 2%

A bolsa nacional mostrou o mesmo cenário negativo das pares europeias, com o principal índice em queda. A petrolífera Galp liderou as perdas.
PSI-20 de novo no vermelho com Galp a cair mais de 2%
Miguel Baltazar/Negócios
Ana Batalha Oliveira 10 de dezembro de 2019 às 16:47

A bolsa nacional voltou a ficar pelo terreno negativo, com o principal índice, o PSI-20, a descer 0,25% para os 5.148,63 pontos. A pesar no desempenho estiveram 11 cotadas a cair, contra 6 a subir, restando uma inalterada.

A praça lisboeta alinhou-se com as pares europeias no sentido descendente, numa altura em que o processo de "impeachment" de Trump preocupa. A maioria democrata na Câmara dos Representantes formalizou, esta terça-feira, as acusações de abuso de poder e obstrução ao Congresso contra o presidente dos Estados Unidos.

Numa nota mais positiva, a agência Dow Jones avançou a notícia de que Washington e Pequim deverão aceitar adiar a entrada em vigor de novas tarifas que estavam previstas para 15 de dezembro.

Por cá, o peso pesado Galp Energia cedeu 2,03% para os 14,22 euros, posicionando-se no topo das perdas. A petrolífera seguiu, desta forma, em contraciclo com o petróleo. O barril londrino está a somar 0,23% para os 64,40 dólares, apoiado pela expetativa de que os inventários de crude nos Estados Unidos apresentem uma quebra esta semana. 

A deslizar 1,16% para os 10 cêntimos esteve a Pharol, no dia em que o administrador não executivo Nelson Tanure renunciou ao cargo no conselho de administração da empresa, antecipando-se assim à assembleia geral que foi convocada para 18 de dezembro que tinha precisamente como objetivo a demissão do empresário.

Em destaque no verde está a Corticeira Amorim. A empresa tocou em máximos de outubro de 2018 na sequência de uma subida de 3,06% para os 11,44 euros, uma variação que lhe valeu a liderança dos ganhos. Esta evolução acontece quando se aproxima a distribuição do dividendo da cotada.

Ainda a dar corpo aos ganhos, e a prevenir maiores quebras do índice nacional, estiveram três cotadas do setor da energia. A EDP Renováveis colocou-se em segundo do pódio, ao somar 0,60% para os 10,10 euros, seguida a pouca distância pela própria EDP, que avançou 0,52% para os 3,68 euros. A REN apreciou-se em 0,18% para os 2,72 euros.

(Notícia atualizada às 16:58)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI