Bolsa PSI-20 não caía quatro sessões seguidas há quase dois meses

PSI-20 não caía quatro sessões seguidas há quase dois meses

Com uma queda de 1,91%, o BCP foi a cotada que mais penalizou a bolsa nacional, que fechou no vermelho pelo quarto dia consecutiva, série mais longa de perdas em quase dois meses. Destaques da sessão foram para os máximos registados pela EDP e pela Galp.
PSI-20 não caía quatro sessões seguidas há quase dois meses
Miguel Baltazar
David Santiago 18 de novembro de 2019 às 16:41
O índice PSI-20 fechou a sessão desta segunda-feira, 18 de novembro, a ceder 0,08% para 5.263,61 pontos, com 10 cotadas em queda, sete em alta e uma inalterada. A praça lisboeta elevou assim para quatro o número de dias seguidos a acumular perdas, o que representa o mais longo ciclo de quedas desde 25 de setembro. 

A bolsa nacional transacionou em linha com as perdas também registadas pela generalidade das praças europeias. O índice de referência europeu Stoxx600 encaminha-se para fechar no vermelho, sobretudo penalizado pelas quedas dos setores automóvel e das matérias-primas. 

No plano nacional, BCP foi a cotada mais decisiva, mas EDP e Galp Energia foram as estrelas da sessão. O banco perdeu 1,91% para 0,2052 euros, na sexta sessão seguida sem valorizar - desde agosto que a instituição liderada por Miguel Maya não acumulava tantas sessões consecutivas sem ganhar valor. 

Também a pressionar esteve o setor do papel: a Altri perdeu 2,64% para 5,91 euros, a Navigator resvalou 1,60% para 3,566 euros e a Semapa deslizou 0,14% para 14,06 euros. Ainda do lado das quedas, nota para a REN (-0,91% para 2,735 euros) e para a Nos (-0,29% para 5,125 euros).

A travar uma maior queda da praça lisboeta esteve sobretudo a EDP e a Jerónimo Martins. A elétrica ganhou 1,51% para 3,767 euros, cotação que representa um máximo de junho de 2008 para a empresa liderada por António Mexia transacionou em 

Já a Jerónimo Martins somou 1,35% para 15,05 euros, enquanto a outra retalhista cotada no principal índice nacional, a Sonae, se limitou a uma ténue subida de 0,05% para 0,9275 euros. 

Depois de ter tocado nos 15,275 euros (máximo de novembro de 2018), a Galp Energia terminou o dia com uma valorização de 0,16% para 15,21 euros para fixar a quinta sessão consecutiva em alta. Continuando na energia, a EDP Renováveis foi a única cotada a fechar inalterada no valor de fecho da passada sexta-feira (10,20 euros por ação).

(Notícia atualizada às 16:51)



pub

Marketing Automation certified by E-GOI