Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

PSI-20 sobe pelo quinto mês seguido. Não acontecia há seis anos

A bolsa nacional terminou janeiro a valorizar 0,53%, o que representa o quinto mês consecutivo a acumular ganhos. A última vez que aconteceu foi entre 2013 e 2014, altura em que valorizou nove meses seguidos.

A carregar o vídeo ...
Gonçalo Almeida goncaloalmeida@negocios.pt 31 de Janeiro de 2020 às 16:50
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

A bolsa nacional terminou o primeiro mês deste ano a valorizar 0,73% para os 5.252,03 pontos, ampliando o ciclo de vitórias mensais para cinco.

É preciso recuar até março de 2014 para se verificar uma sequência de ganhos mais longa. Na altura, o índice PSI-20 conseguiu estar nove meses consecutivos a valorizar, tendo o ciclo de ganhos começado em julho de 2013. 

Em janeiro de 2020, a bolsa nacional contrariou a tendência do que verificou no resto da Europa, com o Stoxx 600, o índice que agrupa as 600 maiores cotadas da região, a perder 1,09% neste período. 

O principal catalisador desta valorização foi o grupo EDP, a nova empresa na lista de favoritos da Goldman Sachs, que ganhou 17,08% em janeiro, um máximo desde 2008. A EDP Renováveis acompanhou o ritmo e valorizou 14,29% no primeiro mês do ano.

Esta semana, a empresa liderada por António Mexia viu uma série de bancos de investimento a pronunciar-se sobre o seu desempenho. Entre as mais otimistas estão a Kepler e o HSBC, na sequência da venda de seis centrais hídricas, num negócio de 2,2 mil milhões de euros, ao consórcio liderado pela Engie, que detém 40%, e que conta com o Crédit Agricole Assurances (35%) e com a a Mirova – do grupo Natixis (25%).

A EDP terminou o mês a beneficiar com uma nota de research favorável do Goldman Sachs, que subiu o preço-alvo de 4,40 euros para 5,25 euros (melhoria de 19%) e reiterou a recomendação de comprar. Além disso adicionou a elétrica à sua lista de ações favoritas ("conviction list").

Ainda neste mês, a EDP Renováveis anunciou um aumento em 6% da produção no conjunto de 2019 e consumou a criação de uma "joint-venture" com os franceses da Engie, com vista ao desenvolvimento de projetos eólicos "offshore", fixo e flutuante. 

No lado oposto da tabela está a Galp, que perdeu 8,46%, num mês em que o preço do petróleo Brent, que serve de referência para Portugal, desvalorizou 12,02%, a maior queda mensal desde maio. Também a construtora Mota-Engil, que tem uma carteira de encomendas em mercados emergentes dependentes do preço da matéria-prima, se ressentiu (-9,68%). A Navigator liderou as perdas mensais ao recuar 9,70%.

Fora do PSI-20, o destaque mensal vai para o Sporting e também para a Cofina. O clube de Alvalade disparou 20,26% para máximos nas sessões que antecederam a venda do médio Bruno Fernandes, que assinou pelos ingleses do Manchester United por 55 milhões de euros, mais 25 milhões em objetivos. Também a Cofina subiu 21,95%, num mês em que aprovou o aumento de capital de 85 milhões de euros, que motivou uma corrida às ações da empresa no final do mês. 

Ver comentários
Saber mais PSI-20 bolsa nacional Europa Stoxx600 mercados bolsas energia
Mais lidas
Outras Notícias