Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

PSI-20 tem o primeiro ganho da semana com subida de mais de 2% da Nos

A bolsa nacional terminou a semana com um ganho ligeiro, ainda assim insuficiente para tornar o saldo semanal positivo. Nesta sexta-feira destaca-se a Nos, a beneficiar do acordo firmado com a Vodafone para a partilha de infraestruturas de rede móvel.

A Nos, liderada por Miguel Almeida, exige 22,4 milhões à Meo.
Miguel Baltazar
Gonçalo Almeida goncaloalmeida@negocios.pt 23 de Outubro de 2020 às 16:46
  • Assine já 1€/1 mês
  • 18
  • ...
O índice PSI-20 terminou a sessão desta sexta-feira com uma subida de 0,52% para os 4.139,40 pontos, acompanhando a batuta do resto da Europa, num dia em que os investidores estiveram a reagir ao último debate presidencial nos Estados Unidos entre Donald Trump, o candidato republicano, e Joe Biden, o democrata.

Ainda assim, foram os dados positivos relativos à produção na Alemanha e alguns resultados empresariais que mantiveram os índices do "velho continente" ligados à corrente.

Por cá, uma das maiores subidas foi da Nos, com uma valorização de 2,34% para os 3,146 euros por ação, reagindo desta forma ao acordo firmado com a Vodafone para a partilha de infraestruturas de rede móvel, a nível nacional, que incide sobre ativos atuais e futuros.

Trata-se de uma parceria inédita no mercado português, e que abre a porta também a eventuais parcerias no 5G e à concretização de acordos semelhantes com outros operadores. Até agora, as parcerias que tinham sido firmadas assentavam numa perspetiva de coinvestimento em redes futuras e não na partilha de componentes ativos.

A subir esteve também a Galp (+1,67%), num dia em que um consenso da Bloomberg aponta para um regresso da empresas portuguesa aos lucros, no terceiro trimestre. De acordo com a equipa de análise, a Galp Energia deverá ter um lucro de 22,7 milhões de euros, contrariando o prejuízo de 52 milhões de euros registados no trimestre anterior. 

Em contraciclo, a EDP perdeu 0,32% para os 4,379 euros por ação e a REN manteve-se inalterada nos 2,365 euros, depois da Morgan Stanley ter decidido abandonar a cobertura da companhia.

Mas se em termos diários, a sessão sorriu para o índice português, a semana foi globalmente negativa para a praça lisboeta, com uma queda superior a 2%, sendo a primeira perda neste mês.

Entre as empresas destaca-se a desvalorização de mais de 6% dos CTT e de quase 5% da EDP Renováveis, numa das piores semanas desde março para a elétrica portuguesa.

Do lado oposto, a Sonae Capital valorizou 10% na semana, indo a um máximo desde fevereiro. Este novo valor alcançado iguala a revisão da contrapartida da oferta pública de aquisição (OPA) anunciada na noite de quarta-feira pela Efanor.
Ver comentários
Saber mais Donald Trump Nos Joe Biden Joe Biden Europa Estados Unidos economia negócios e finanças mercado e câmbios bolsa política
Outras Notícias