Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

PSI-20 perde menos que Europa pressionada por EDP e BCP

A Euronext Lisbon caía 0,50% devido à queda dos títulos da EDP e do BCP e da Portugal Telecom. Contudo, a praça nacional era a única praça europeia que perdia menos de 1%.

Joaquim Madrinha 06 de Agosto de 2003 às 10:59
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A Euronext Lisbon caía 0,50% devido à queda dos títulos da EDP e do BCP e da Portugal Telecom. Contudo, a praça nacional era a única praça europeia que perdia menos de 1%.

O PSI-20 marcava 5.734,48 pontos, menos 0,5% que o valor de fecho da sessão anterior, com uma empresa a subir, sete a descer e doze inalteradas.

A sessão era marcada por fraca liquidez. Os títulos mais transaccionados eram a Portugal Telecom (PT), com cerca de 1,2 milhões de títulos negociados, e o Banco Comercial Português (BCP), que contava com pouco mais de 639 mil títulos negociados.

Na banca, o Banco Comercial Português [BCP] era o único título que variava face ao valor de fecho de ontem. O banco de Jardim Gonçalves descia 0,68% para os 1,47 euros.

A Electricidade de Portugal [EDP] resvalava 1,51% para os 1,96% e a Portugal Telecom [PTC] perdia 0,51% para os 5,91 euros.

Também a descer estavam os títulos da Brisa [BRISA]. As acções da concessionária de auto-estradas caíam 0,2% para os 4,97 euros.

A combater a tendência seguiam os títulos da Jerónimo Martins [JMAR], ao apreciarem 1,195 para os 6,81 euros.

No grupo de Belmiro de Azevedo, a Sonaecom [SNC] perdia 0,52% para os 1,92 euros, enquanto a Sonae [SON] mantinha-se inalterada nos 0,46 euros.

Bolsas europeias caem contagiadas pela Bayer

As bolsas europeias perdiam contagiadas pela Bayer que apresentou resultados referentes ao terceiro trimestre abaixo das estimativas dos analistas devido à apreciação do dólar face ao euro.

No entanto, a banca era o sector que mais penalizava o Dow Jones Euro Stoxx Índex levando-o a registar um decréscimo de 1,78% para os 2.388,33 pontos.

No IBEX-35 [IBEX], o Santander, cujos títulos desciam 2,44% para os 7,54 euros, e o Banco Bilbao Viscaya e Argentaria (BBVA) com uma perda de 1,74% para os 9,58 euros, pressionavam o índice espanhol para um deslize de 1,12% a marcar 6.913 pontos.

Em Londres, o FTSE [UKX] perdia 1,78% para os 4.047,60 pontos. O banco HSBC com uma queda de 2,07% para os 755,5 pence (10,72 euros) e a Vodafone, cujas acções desvalorizavam 1,92% para os 114,758 pences (1,62 euros), eram os títulos que mais penalizavam o principal índice londrino.

No CAC-40 [CAC], o BNP Paribas protagonizava a descida mais pesada para o índice ao marcar 47,03 euros, menos 2,59% que no fecho da sessão de ontem. Também a penalizar o índice estavam os títulos da TotalFina e da France Telecom que desciam 1,22% e 1,88% para os 130 euros e 22,43 euros, respectivamente.

O DAX [DAX] registava a maior perda entre as praças europeias ao depreciar 2,06% a marcar 3.367,55 pontos. A Bayer, que apresentou ontem resultados de 128 milhões de euros, menos 56% que no período homólogo, descia 5,97% para os 20,01 euros. Os analistas aguardavam que os lucros da farmacêutica atingissem os 214 milhões de euros.

Contudo, as perdas mais significativas para o índice alemão pertenciam ao Deutsche Bank, cujas acções desvalorizavam 3,13% a marcar 53,57 euros, e à seguradora Allianz que deslizava 3,57% para os 88,11 euros.

A economia alemã foi hoje surpreendida pelo anúncio de um aumento do número de desempregados. Após efeitos sazonais, os dados revelaram que, no mês de Julho, o número de desempregados alemães aumentou em sete mil situando-se agora nos 4,41 milhões. Contudo, a taxa de desemprego manteve-se inalterada nos 10,6%.

Em Amesterdão, o AEX mantinha a tendência das suas congéneres e perdia 1,62% para os 309,17 pontos. O grupo financeiro ING Groep com uma queda de 2,58% para os 17,35 euros e a Aegon, cujos títulos perdiam 3,38% para os 10,87 euros, eram os papéis que influenciavam a tendência do índice.

Outras Notícias