Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

PSI-20 sobe 1,16% encerrando no máximo desde 17 de Janeiro (act)

O índice PSI-20 fechou a subir 1,16%, atingindo um máximo desde 17 de Janeiro, com o forte impulso dos títulos do Banco Comercial Português (BCP), da Portugal Telecom (PT) e da Electricidade de Portugal (EDP).

Bárbara Leite 21 de Agosto de 2003 às 17:11
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
O índice PSI-20 fechou a subir 1,16%, atingindo um máximo desde 17 de Janeiro, com o forte impulso dos títulos do Banco Comercial Português (BCP), da Portugal Telecom (PT) e da Electricidade de Portugal (EDP).

O índice [PSI20] que agrega as maiores capitalizações bolsistas da Bolsa nacional fechou nos 5.994,63 pontos, perto da barreira dos seis mil pontos.

A variação percentual do PSI-20 foi mesmo a mais elevada desde 2 de Julho deste ano.

Do índice PSI-20 apenas a Teixeira Duarte [TXDE] apresentou uma desvalorização no final de sessão de hoje. A construtora caiu para os 0,77 euros, a cair 1,28%.

As restantes 19 acções registaram valorizações, com destaque para o BCP [BCP] que subiu 1,95% para os 1,57 euros.

O Jornal de Negócios avançou que o banco pagou 5,3 mil milhões de euros em «goodwill» e custos de reestruturação e ajustamento do «fair value» com a aquisição do Sotto Mayor e Banco Mello/Império, mas que não considera estes gastos como desperdício agora que as marcas vão desaparecer.

A Portugal Telecom [PTC] cresceu 1,72% para os 6,51 euros, com 7,6 milhões de títulos negociadas, contagiada pelas congéneres europeias.

A maior operadora de telecomunicações regista valorizações desde há oito sessões consecutivas e ganha valor desde 8 de Agosto. Desde essa data, as acções da operadora liderada por Miguel Horta e Costa valorizaram 10,33%.

A eléctrica nacional [EDP] registou uma subida de 1,49% para os 2,04 euros, beneficiando dos estudos que saíram recomendando a compra aos investidores.

Segundo o Banif, a EDP pode chegar nos próximos 12 meses aos 2,26 euros e deverá melhorar as receitas em 24,3 milhões de euros a partir de 2005 e 2006, com o impacto da transferência dos custos de reestruturação, nomeadamente, os cortes com pessoal para as tarifas. O BPI [BPIN] também reiterou a recomendação de «compra».

A Brisa [BRISA] foi outro das acções que brilhou no final da sessão de hoje. A concessionária de auto-estradas fechou a subir 0,60% para os 4,99 euros, depois da corretora Título ter avançado com uma recomendação de «compra» para as acções da concessionária e a atribuição de um preço alvo a 12 meses de 5,62 euros.

Este preço alvo implica um potencial de valorização de 12,6% face à cotação de fecho do dia de hoje.

Também os dados económicos nos Estados Unidos vieram ajudar a cotação das empresas nacionais. O pedido de subsídios de desemprego caiu, na semana passada, e o índice dos indicadores económicos nos Estados Unidos subiu 0,4%, o que representa a quarta subida consecutiva.

Mais lidas
Outras Notícias