Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

PT volta a impedir bolsa de acompanhar ganhos da Europa (act)

A bolsa nacional fechou em queda, não acompanhando os ganhos das congéneres europeias, pressionada principalmente pela Portugal Telecom, com os analistas a estimarem uma queda de cerca de 30% nos lucros da operadora. O PSI-20 registou o quinto dia consecu

Ana Filipa Rego arego@negocios.pt 29 de Abril de 2005 às 17:26
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A bolsa nacional fechou em queda, não acompanhando os ganhos das congéneres europeias, pressionada principalmente pela Portugal Telecom, com os analistas a estimarem uma queda de cerca de 30% nos lucros da operadora. O PSI-20 registou o quinto dia consecutivo de descidas, ao perder 0,07%.

O principal índice da bolsa nacional cotou nos 7.609,77 pontos com oito acções em queda seis a subir e seis inalteradas numa sessão em que foram negociados 175,6 milhões de euros, mas 24% do que na anterior. Na Europa a sessão foi de subidas contidas, com os resultados da Microsoft a animar as tecnológicas.

A Portugal Telecom [ptc] caiu pela quinta sessão consecutiva. A maior operadora de telecomunicações portuguesa esteve durante grande parte da sessão a subir mas acabou por fechar a cair 0,58% para os 8,50 euros, depois de uma sondagem do Jornal de Negócios Online junto de 21 analistas ter sugerido que os lucros da PT nos primeiros três meses de 2005, registaram uma quebra de 28% para 163 milhões de euros.

A PT Multimédia [ptm] contrariou a casa-mãe e subiu 1,87% para os 18,52 euros. Os accionistas da participada da PT, que detenham acções da empresa até hoje, vão receber um warrant por cada título detido, no dia 5 de Maio, sendo que os warrants vão negociar em bolsa entre 9 e 17 de Maio. Esta operação faz parte do programa de recompra de acções «share buyback» que a empresa está a realizar.

Apesar desta notícia já ser conhecida «relembrou os investidores» e por isso a empresa valorizou, explicou o operador da Probolsa, Francisco Guarmon.

O Banco BPI [bpin] também pressionou com uma queda de 1,27% para os 3,12 euros enquanto o Banco Espírito Santo [besnn] valorizou 0,46% para os 13,10 euros. O Banco Comercial Português [bcp] ficou inalterado nos 2,08 euros.

A Sonae SGPS [son] recuou 0,81% para os 1,23 euros. Francisco Guarmon explica que esta desvalorização, mesmo após as suas participadas terem apresentado resultados aplaudidos pelos analistas, tem a ver com duas coisas: primeiro com o «comprar no rumor e vender na notícia» e segundo com o facto de que a empresa tem recebido muitas recomendações de «compra» nos últimos tempos.

As empresas do grupo apresentaram ontem os resultados referentes ao primeiro trimestre, sendo que a Sonaecom registou lucros atribuíveis de 4,6 milhões de euros, no primeiro trimestre deste ano, face aos 235 mil euros conseguidos um ano antes. As acções da empresa subiram 0,53% para os 3,81 euros.

A Sonae Indústria – cujas acções fecharam inalteradas nos 5,17 euros - obteve resultados líquidos de 15 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, valor que compara com lucros de 1 milhão de euros no período homólogo de 2004.

A Brisa [brisa] travou perdas maiores com uma valorização de 1,47% para os 6,20 euros e a Jerónimo Martins [jmar] subiu 0,59% para os 11,90 euros.

A Altri somou 1,79% para os 1,14 euros depois de ter anunciado ontem que as vendas do grupo aumentaram 15% para os 36,7 milhões de euros no primeiro trimestre, revelou a empresa em comunicado, explicando que a Altri enquanto empresa reflecte apenas um mês em actividade (Março) durante o qual obteve lucros de 1,2 milhões de euros.

A Energias de Portugal (EDP) [edp] fechou inalterada nos 2,10 euros.

Outras Notícias