Bolsa Queda do BCP empurra bolsa nacional para o vermelho

Queda do BCP empurra bolsa nacional para o vermelho

A bolsa nacional terminou a semana em território negativo, pressionada pelas más prestações do BCP e da Mota-Engil. Lá fora, o fraco crescimento da economia chinesa e a previsão sombria de alguns resultados empresariais impactou.
Queda do BCP empurra bolsa nacional para o vermelho
Tiago Sousa Dias
Gonçalo Almeida 18 de outubro de 2019 às 16:51
O índice PSI-20 fechou o dia a cair 0,73% para os 4.977,16 pontos, na sua segunda sessão consecutiva a encerrar no "vermelho". A contribuir para este desfecho estiveram 13 cotadas a negociar em queda e apenas cinco em território positivo. 

A pressionar as praças europeias - e a bolsa nacional, por arrasto - esteve a divulgação do PIB da China, com o país a apresentar o crescimento mais fraco em quase 30 anos. Pequim anunciou hoje uma subida do PIB de 6% entre junho e setembro, abaixo dos 6,1% previstos pelos analistas da Reuters, mantendo assim uma tendência descendente.

O sentimento geral das bolsas está ser impactado também pela série de resultados desapontantes e a expectativa de que as próximas divulgações não sejam muito animadoras. Caso disso foi a Renault que reviu em baixa as estimativas para as receitas, para uma quebra entre 3% e 4%, com base no desempenho dos mercados fora da Europa, nomeadamente Turquia e Argentina, bem como com o investimento que está a fazer em investigação e desenvolvimento.

Ainda no radar dos investidores está a situação do Brexit. Depois de a União Europeia e o Reino Unido terem chegado a um acordo para o divórcio, agora é necessário a aprovação do parlamento britânico. No entanto, as expectativas de que o entendimento tenha luz verde não são animadoras. 

Por cá, a pressionar esteve o BCP que desvalorizou 1,97% para os 19 cêntimos por ação, e também a construtora Mota-Engil que liderou as quedas ao desvalorizar 2,52% para os 1,94 euros por ação. 

A Galp seguiu a batuta geral dos pares portugueses e deslizou 0,15% para os 13,53 euros, numa altura em que o preço do petróleo Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, perde 0,48%. A petrolífera dará o pontapé de saída na temporada de resultados entre as cotadas no PSI-20, ao anunciar números na próxima terça-feira, dia 22 de outubro. 

A cair esteve também a EDP Renováveis, com um deslize de 0,51% para os 9,71 euros, num dia em que anunciou uma parceria na Coreia do Sul com a Aker Solutions para adquirir uma parte significativa no parque eólico KFWind, da WindPower Korea, que ficou com uma participação minoritária, de acordo com uma notícia avançada pela Bloomberg e que agora a EDP confirma, em comunicado. 

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI