Bolsa Renault afunda para mínimos de 2013 após cortar estimativas

Renault afunda para mínimos de 2013 após cortar estimativas

As ações da Renault já recuaram quase 15% para níveis de 2013, depois de ter revisto em baixa as suas previsões de resultados para este ano.
Negócios 18 de outubro de 2019 às 09:01

A Renault reviu em baixa as suas estimativas de resultados para este ano, justificando com o desempenho de mercados fora da Europa, nomeadamente Turquia e Argentina, bem como com o investimento que está a fazer em investigação e desenvolvimento.

 

A Renault estima que as suas receitas diminuam entre 3% e 4% este ano, quando a anterior estimativa apontava para uma estabilização das vendas. A margem operacional do grupo francês deverá rondar os 5%, o que compara com a estimativa inicial de 6%.

 

A fabricante automóvel deverá revelar os dados do terceiro trimestre na próxima semana.

 

As novas previsões estão a afetar fortemente as ações no mercado bolsista, com os títulos da Renault a deslizarem 12,84% para 47,815 euros, tendo chegado a perder quase 15% para 46,70 euros, o que corresponde a um mínimo de abril de 2013.

 

A Renault está a passar por um período conturbado, tendo ainda esta semana a CEO interina da fabricante, Clotilde Delbos, dito aos funcionários que a empresa precisa de reavaliar a estratégia, que tinha sido traçada pelo anterior líder, Carlos Goshn.

Além disso, o mercado automóvel está a revelar algumas dificuldades, com as vendas na Europa a caírem 1,6% para 12,1 milhões nos primeiros nove meses do ano, de acordo com os dados divulgados esta semana pela associação do setor.

 




Marketing Automation certified by E-GOI