Bolsa Resultados e plano estratégico levam Zon Optimus a máximo de Agosto de 2008

Resultados e plano estratégico levam Zon Optimus a máximo de Agosto de 2008

A operadora que resultou da fusão entre a Zon e a Optimus fixou máximos de cinco anos e meio. Os resultados de 2013 reflectem o ambiente adverso em Portugal mas as sinergias da integração devem chegar já no próximo trimestre.
Resultados e plano estratégico levam Zon Optimus a máximo de Agosto de 2008
Miguel Baltazar/Negócios
Hugo Paula 28 de fevereiro de 2014 às 17:21

As acções da Zon Optimus renovaram um máximo de fecho que remonta a 15 de Agosto de 2008, ao valorizarem 9,23% para 5,67 euros por acção. Os títulos encerraram no valor máximo em que negociaram esta sexta-feira e a última vez que estiveram acima deste nível foi a 18 de Agosto de 2008.

 

Depois da apresentação dos resultados de 2013, na quinta-feira após o fecho da sessão, os títulos ainda chegaram a negociar em baixa ligeira, ao descerem 0,02% para 5,19 euros. Contudo, o desempenho operacional e a apresentação do plano estratégico da cotada durante esta manhã terá impulsionado as acções.

 

As contas do último ano tiveram um impacto “amplamente neutral” na avaliação do Millennium IB para a tecnológica, segundo a nota de análise publicada esta manhã. Os números relativos ao quarto trimestre reflectem “um trimestre adverso para a Zon Optimus”, diz o Crédit Suisse.

 

As receitas da operadora caíram 3,7% face ao último trimestre de 2012 e o resultado antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EBITDA) diminuiu 7,5%, com a margem do EBITDA a cair 1,4 pontos percentuais para 33,2%.

 

O BES Investimento explica que os resultados da Zon Optimus espelham as consequências da actual concorrência “agressiva” nos preços da oferta “triple-play”, que concentra as ofertas de televisão, Internet e telefone fixo. Contudo, o banco continua “convencido de que a empresa está em muito boa posição para aproveitar a sua forte vantagem competitiva.”

 

O Crédit Suisse concorda que o mercado residencial está a tornar-se “menos benigno” em Portugal, devido à concorrência mais agressiva das três operadoras nacionais. A Vodafone está a defender quota de mercado no segmento móvel, depois da Zon Optimus e da Portugal Telecom terem introduzido as respectivas ofertas convergentes com quatro serviços - Internet, televisão, telefone fixo e móvel.

 

“Os benefícios da redução de custos devem começar a fazer efeito no próximo trimestre” lê-se na nota do Crédit Suisse, assinada pelo analista Francisco Sanches. A operadora anunciou hoje a revisão da estimativa de sinergias em alta para 800 milhões de euros.

 

A empresa está a migrar os clientes para a plataforma de fibra óptica do grupo, o que deverá reduzir “imediatamente” os custos associados ao aluguer das linhas à Vodafone. Desta forma, a empresa irá conseguir compensar a deterioração das receitas que se verifica no período pós-fusão.

 

O Millennium IB nota que a Zon Optimus anunciou ter chegado às 300 mil unidades geradoras de receita na sua oferta convergente que junta televisão, Internet, telefone fixo e telefone móvel. Para o banco, o número de clientes é 60 mil. Em média, cada pacote quad-play conta com 5,1 serviços dos serviços incluídos no Zon 4i, explica a analista Alexandra Delgado.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI