Bolsa SAG afunda para mínimo histórico após prejuízos e alerta sobre futuro

SAG afunda para mínimo histórico após prejuízos e alerta sobre futuro

A queda de quase 20% das acções reduziu o valor de mercado da SAG para 11,3 milhões de euros.

As acções da SAG – Soluções Automóvel Global registaram uma sessão de forte queda na bolsa portuguesa.

 

Os títulos da empresa que através da SIVA distribui marcas do Grupo Volkswagen em Portugal chegaram a descer 30,98% para 5,66 cêntimos, um valor nunca antes atingido pela empresa. A negociação foi negativa durante toda a sessão e no fecho os títulos caíam 18,29% para 6,67 cêntimos.

A SAG Gest apresenta um valor de mercado de 11,3 milhões de euros sendo que, este ano, já perdeu 57% da sua capitalização. 

 

A tendência de queda ocorreu na primeira sessão bolsista após a divulgação dos resultados relativos ao terceiro trimestre. A SAG Gest apresentou prejuízos de 12,4 milhões de euros entre Janeiro e Setembro, uma importância que é mais do triplo do registado no mesmo período do ano anterior. 

 

A queda acentuada das acções foi acompanhada de uma liquidez elevada. Foram transaccionadas 370 mil acções, quando a média diária, nos últimos seis meses, é de 54 mil títulos transaccionados numa sessão. Por comparação, na sexta-feira negociaram menos de 12 mil acções e no dia anterior nem sequer houve troca de acções da SAG.

 

Um comportamento que se deve também ao facto de ainda não haver indicações sobre o futuro da empresa. Sabe-se, há meses, que a empresa de João Pereira Coutinho está a negociar a venda da sua participada SIVA. E há até um interessado: a Porsche Holding Salzburg, a maior distribuidora automóvel da Europa e detida na totalidade pela Volkswagen. Só que, embora esperando-se novidades em Setembro, tal não aconteceu. Até Novembro. 

 

"A SAG continua empenhada em procurar soluções que permitam garantir a sustentabilidade das principais actividades desenvolvidas na área do comércio e distribuição automóvel, pelo que têm vindo a ser desenvolvidas e aprofundadas conversações no quadro de um processo negocial alargado envolvendo potenciais investidores e stakeholders. O desfecho desse processo negocial não se encontra ainda garantido, não existindo, até à presente data, qualquer decisão ou acordo, nem garantia de que os termos de um eventual acordo venham a permitir salvaguardar a continuidade do Grupo SAG Gest tal como presentemente tem vindo a operar ou de que tal acordo venha a existir no futuro", é o que escreve o grupo, no comunicado de resultados divulgado na sexta-feira passada.


A SIVA, participada da SAG, distribui em Portugal os carros das marcas Volkswagen, Audi, Skoda, Lamborghini e Bentley. 


A SAG tem 80,08% do seu capital nas mãos de João Pereira Coutinho, estando 10,04% do capital disperso em bolsa (as restantes 9,88% são acções próprias detidas pela empresa), segundo o relatório e contas do ano passado



Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI