Empresas SDC Investimentos deixou esta sexta-feira a Bolsa de Lisboa

SDC Investimentos deixou esta sexta-feira a Bolsa de Lisboa

A CMVM aprovou retirada do mercado da SDC Investimentos. A accionista Oceanlotus irá avançar para a compra das acções dos minoritários por 7,12 cêntimos até 16 de Julho.
SDC Investimentos deixou esta sexta-feira a Bolsa de Lisboa
Diogo Cavaleiro 13 de abril de 2018 às 19:25

A SDC Investimentos já não é uma empresa cotada na Bolsa de Lisboa. O regulador do mercado de capitais aceitou a saída de bolsa, como proposto pelos accionistas e gestores. Os minoritários que não votaram a favor desta medida têm a receber 7,12 cêntimos. As acções fecharam a sua última sessão bolsista nos 6,7 cêntimos.

 

"Na sequência do requerimento apresentado em 7 de Março de 2018 pela SDC, Investimentos, em reunião do seu conselho de administração, realizada em 12 de Abril de 2018, foi deliberado deferir, com efeitos a esta data, o pedido de perda da qualidade de sociedade aberta apresentado", informa a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários em comunicado esta sexta-feira, dia 13.

 

A aprovação da saída de bolsa foi decidida, em Fevereiro, por 90,355% do capital da SDC Investimentos. Na altura, a proposta foi feita pela Investéder (dos gestores António Castro Henriques e Gonçalo Andrade Santos), depois de uma conversão de créditos ter permitido superar a fasquia dos 90% do capital (a partir da qual pode ser solicitada a saída de bolsa).
 

Os accionistas que não votaram favoravelmente terão direito a receber 7,12 cêntimos por acção, que serão adquiridas pela Oceanlotus, empresa detida em 60% pela Investéder e de que Castro Henriques e Andrade Santos são também accionistas. A CMVM aceitou este preço – se considerasse inadequado, poderia convocar um auditor independente para fazer o cálculo, o que não aconteceu.

 

Ao todo, a sociedade poderá gastar 2,6 milhões de euros, dinheiro que está já depositado no BCP.  

 

A venda dos minoritários poderá ser feita nos três meses a contar desta segunda-feira-feira, ou seja, até 16 de Julho, por conta da ordem permanente de compra. Além disso, a Investéder já assumiu que poderá recorrer à aquisição potestativa das acções (ou seja, caso não esteja a haver adesão dos minoritários à ordem permanente de compra, avança para uma aquisição obrigatória para tirar as acções das mãos dos investidores minoritários).

Empresa já não está cotada

Como consequência da autorização da CMVM, "as acções representativas do capital social da SDCI foram excluídas da negociação do mercado regulamentado Euronext Lisbon na presente data".

A última sessão bolsista da SDC terminou com a cotada a valer 6,7 cêntimos por acção

 

O objectivo dos accionistas e gestores é avançar para o saneamento desta cotada, que era anteriormente a Soares da Costa – ficou depois SDC Investimentos quando a maioria do capital foi vendida ao angolano António Mosquito. Actualmente, uma pequena e média empresa com presença no imobiliário, uma posição accionista na plataforma online Zask e com uma posição de 33% na Soares da Costa Construções. 


 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI