Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Sector bancário pressiona Euronext Lisbon para queda de 0,43% (act.)

A Bolsa nacional encerrou em queda, com o PSI20 a retroceder 0,43%, arrastado pelo desempenho do sector da banca, onde o BPI caiu 4%. A PT interrompeu uma série de quatro sessões sucessivas de ganhos.

Pedro Carvalho pc@mediafin.pt 07 de Outubro de 2002 às 16:43
  • Partilhar artigo
  • ...
A Bolsa nacional encerrou em queda, com o PSI20 a retroceder 0,43%, arrastado pelo desempenho do sector da banca, onde o BPI caiu 4%. A PT interrompeu uma série de quatro sessões sucessivas de ganhos.

O PSI20 [PSI20] marcava no final 5.211,60 pontos, com metade das acções em queda, sete a valorizarem e três inalteradas.

No segmento bancário, e a espelhar o sentimento no exterior, o BPI [BPIN] e o Banco Comercial Português (BES) [BESNN] encerram em queda de 4,02% para os 1,91 euros e 0,1% para os 10,29 euros, respectivamente.

O Banco Comercial Português (BCP) [BCP] apesar de ter recuperado do mínimo anual de 2,07 euros estabelecido na sessão matinal, não evitou um deslize no final de 2,31% para 2,11 euros, com mais de 3 milhões de acções movimentadas.

A Portugal Telecom (PT) [PTC] que vem de uma série de quatro sessões sucessivas a acrescentar valor, período no qual aumentou 11%, fechou em queda de 0,39% para 5,05 euros.

Ao longo da sessão, a operadora de telecomunicações chegou a amealhar um ganho de 2,56%, depois do CSFB ter recomendado «outperform» para as acções da PT e um preço alvo de 7,50 euros. Segundo o banco, um cenário negativo no Brasil, que representa 18% do preço objectivo, já estará descontado.

A Vodafone Telecel [TLE] ficou mais barata em 0,69% para os 7,20 euros.

A Sonae SGPS [SON] fechou inalterada em 0,39 euros, tal como a SonaeCom [SNC] que quedou-se em 1,25 euros.

A Brisa [BRISA] acrescentou 1,17%, elevando o preço para 5,21 euros e a Electricidade de Portugal (EDP) [EDP] aumentou 1,3% a marcar 1,56 euros.

A Semapa [SEMA] valorizou 4,55% para 3,45 euros. Segundo o ES Research, o preço-alvo de 5,2 euros atribuído pela às acções da Semapa poderá vir a ser elevado para 6 euros, depois de completada a compra da Secil.

Ver comentários
Outras Notícias