Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Subida acima de 1% da EDP insuficiente para impulsionar bolsa (act)

A bolsa nacional fechou em queda, contrariando a tendência de ganhos das praças europeias, pressionada pelas desvalorizações do Banco Comercial Português e da Portugal Telecom. O PSI-20 cedeu 0,06%, com a nova subida das acções da EDP a impedir maiores pe

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 28 de Junho de 2006 às 17:03
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A bolsa nacional fechou em queda, contrariando a tendência de ganhos das praças europeias, pressionada pelas desvalorizações do Banco Comercial Português e da Portugal Telecom. O PSI-20 cedeu 0,06%, com a nova subida das acções da EDP a impedir maiores perdas.

O índice, apesar de ter negociado grande parta da sessão em alta, terminou a descer para os 9.418,83 pontos, com cinco acções a valorizar, 12 em queda e três inalteradas. A liquidez ascendeu a 150,7 milhões de euros.

Nas bolsas europeias o dia foi misto e de fracas oscilações, com os investidores à espera da reunião de amanhã da Reserva Federal, que deverá ser marcada por um novo aumento nas taxas de juro para 5,25%.

Em Lisboa a Energias de Portugal foi o principal destaque da sessão, com uma subida de 1,33% para 3,05 euros, mantendo a tendência de subidas acentuadas, já verificada nas últimas sessões.


A eléctrica tem beneficiado com a notícia de que vai vender a ONI, bem como de estudos positivos por parte de bancos de investimento internacionais. Depois da Lehman Brothers ter reiniciado a cobertura dos títulos com uma recomendação de «overweight», hoje o Citigroup voltou a incluir a EDP na sua lista de acções preferidas.

Também em alta estiveram as acções da Brisa, que subiram 0,12%, bem como os títulos da Altri, que fecharam a valorizar 0,9%. A Cofina somou 0,84% para os 3,59 euros, no dia em que anunciou que, em conjunto com parceiros, investiu 4 milhões de euros no arranque de um jornal gratuito no Brasil.

Já a pressionar o índice estiveram as acções do Banco Comercial Português, que desvalorizaram 0,45% para os 2,20 euros. O Banco BPI também fechou em queda, cedendo 0,34% para os 5,82 euros.

O presidente do Banco Comercial Português (BCP), Paulo Teixeira Pinto, afirmou hoje que considerará «normal uma investigação aprofundada» à oferta pública de aquisição (OPA) do BCP sobre o Banco BPI pela Autoridade da Concorrência (AdC), «se essa for a decisão da autoridade».

A Portugal Telecomou foi o outro título a pressionar a bolsa, registando uma queda de 0,64% para os 9,37 euros. A Sonaecom, que lançou uma OPA sobre a operadora de telecomunicações a 9,50 euros cada, terminou nos 4,26 euros, a desvalorizar 0,23%.

Ainda em queda destacaram-se as acções da Mota-Engil, que cederam 2,13% para 4,13 euros. As acções corrigiram dos ganhos das últimas sessões, quando beneficiou com um estudo positivo do Santander.

As descida mais expressivas foram protagonizadas pela Corticeira Amorim (5,03%) e pela ParaRede (4,55%).

Outras Notícias