Bolsa Tecnológicas e Gap dão gás a Wall Street

Tecnológicas e Gap dão gás a Wall Street

As bolsas norte-americanas encerraram em terreno positivo, impulsionadas sobretudo pelas tecnológicas e pela Gap, num dia em que também foram animadas pelos recentes dados económicos da China e pela nota positiva nas negociações comerciais entre Washington e Pequim.
Tecnológicas e Gap dão gás a Wall Street
Reuters
Carla Pedro 01 de março de 2019 às 21:07

O Dow Jones encerrou a somar 0,43% para 26.027,27 pontos e o Standard & Poor’s 500 ganhou 0,69% para 2.803,69 pontos.

 

Já o tecnológico Nasdaq Composite registou uma subida de 0,83%, para 7.595,35 pontos.

 

As praças do outro lado do Atlântico estiveram a ser sustentadas pelos novos dados económicos da China, que tranquilizaram os investidores que estavam receosos quanto ao panorama para o crescimento global.

 

Além disso, as perspetivas para um acordo comercial entre Washington e Pequim também melhoraram – o que impulsionou cotadas com elevada exposição à China, cujas receitas dependem grandemente das exportações para este país, como é o caso das tecnológicas.

 

Além do impulso da frente comercial, o setor tecnológico também ganhou fôlego com o anúncio de que a Amazon pretende abrir novas lojas.

 

A contribuir esteve também a Apple, depois de o seu CEO, Tim Cook, ter dito hoje, no Dia do Investidor celebrado pela empresa, que nunca esteve tão otimista quanto ao atual posicionamento e rumo da cotada da maçã.

 

Nota positiva também para a Gap, que fechou a disparar 16,18% para 29,51 dólares, depois de ter chegado a escalar mais de 25%, à conta do anúncio de que vai autonomizar a sua marca com melhor desempenho, a Old Navy.

 

A Old Navy tem sido o ‘farol’ da empresa nos últimos anos, protegendo-a do desempenho mais fraco das marcas Gap e Banana Republic.

 

Do lado negativo, destaque para as ações da Tesla, que perderam 7,84% para 294,79 dólares. Wall Street reagiu com nervosismo, esta sexta-feira, à decisão da fabricante de veículos elétricos liderada por Elon Musk de encerrar a sua rede de lojas e passar a vender apenas online. Além disso, anunciou a esperada versão mais barata do Model 3 e cortou em 6% os preços de todos os outros modelos – o que deixa os analistas preocupados com as margens de longo prazo da empresa.

 

Em relação ao Model 3, foi a terceira redução de preços este ano, depois de um corte de 2.000 dólares em janeiro e de 1.100 dólares em fevereiro.




Marketing Automation certified by E-GOI