Bolsa Trump volta a atacar Amazon e CBS News tem revelações sobre a Alphabet

Trump volta a atacar Amazon e CBS News tem revelações sobre a Alphabet

As principais bolsas norte-americanas encerraram a ceder terreno, penalizadas sobretudo pelos títulos da banca e das tecnologias, com a Amazon e a Alphabet no centro das atenções. Além disso, os investidores optaram por uma maior prudência, à espera de desenvolvimentos sobre as conversações comerciais entre os EUA e a China.
Trump volta a atacar Amazon e CBS News tem revelações sobre a Alphabet
Bloomberg
Carla Pedro 18 de maio de 2018 às 21:36

A banca pressionou a negociação bolsista desta sexta-feira nos EUA, mas foram as tecnologias que mais pesaram. A impedir maiores estragos em Wall Street esteve o sector da energia, com destaque para o petróleo, que tem estado a escalar posições nos principais mercados internacionais.

Os preços do crude registaram a sexta semana consecutiva de saldo positivo, naquela que é a melhor série de subidas semanais desde 2011.

 

O Dow Jones fechou inalterado face à véspera, nos 24.715,09 pontos e o Standard & Poor’s 500 perdeu 0,26% para 2.712,97 pontos.

 

Por seu lado, o Nasdaq Composite recuou 0,38%, a valer 7.354,34 pontos.

 

As bolsas do outro lado do Atlântico estiveram a negociar em baixa devido aos renovados receios em torno das relações comerciais entre os EUA e a China, com ambas as potências a tentarem chegar a um entendimento e os investidores à espera de resultados.

 

Ontem arrancou a segunda ronda de conversações entre ambos os países para tentar evitar uma guerra comercial – com a imposição de tarifas aduaneiras mais elevadas, de parte a parte.

 

A pressionar a negociação na sessão desta sexta-feira esteve sobretudo o sector tecnológico, com destaque para a Alphabet – dona da Google –, que perdeu 1,07% para 1.069,64 dólares.

 

Segundo a Bloomberg, as acções da Alphabet estiveram a cair porque a empresa será alvo de uma reportagem no programa ‘60 Minutos’ [CBS News], no domingo, onde se ouvirão críticos a dizer que a empresa reprimiu a concorrência.

 

Também a Amazon teve um mau desempenho, fechando a ceder 0,47% para 1.574,37 dólares, num dia em que voltou a ser "atacada" por Trump – que instou os serviços postais norte-americanos a duplicarem as tarifas sobre as encomendas da retalhista online, segundo o The Washington Post.

 

Ainda no mesmo sector, a Applied Materials afundou 8,25% para 49,51 dólares depois de reportar fracos resultados trimestrais que desiludiram o mercado.

 

Os investidores seguem também atentos ao evoluir da dívida soberana dos EUA, cuja maturidade a 10 anos tem estado a negociar em máximos de sete anos, nos 3,1%.

 

Muitos analistas que têm analisado este tema estimam que o patamar dos 3,6% pode ser o ponto de inflexão que fará os investidores desviarem as suas aplicações das acções para as obrigações. A acontecer, as bolsas mundiais poderão corrigir fortemente nos próximos meses, admitem.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI