Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Valorizações da EDP e Brisa ajudam PSI20 a crescer 0,17%

A Bolsa nacional negociava com ganhos, ajudada pelas valorizações da Brisa e EDP, esta última a crescer 1,79%. O PSI20 progredia 0,17%, um crescimento moderado face à subida evidenciada pelas restantes praças na Europa.

Pedro Carvalho pc@mediafin.pt 19 de Agosto de 2002 às 11:20
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A Bolsa nacional negociava com ganhos, ajudada pelas valorizações da Brisa e Electricidade de Portugal (EDP), esta última a crescer 1,79%. O PSI20 progredia 0,17%, um crescimento moderado face à subida evidenciada pelas restantes praças na Europa.

O PSI20 [PSI20] cotava nos 5.911,50 pontos, com nove acções a acrescentarem valor, seis inalteradas e cinco em queda.

A ajudar o desempenho do PSI20, a Brisa [Brisa] somava 0,38% para os 5,22 euros, enquanto a Electricidade de Portugal (EDP) [EDP] valorizava 1,19% para os 1,70 euros.

O Banif reiterou a recomendação de «manter» para a EDP, sugerindo um preço-alvo de 2,45 euros. Para o banco de investimento, a eléctrica nacional deverá insistir na tomada de controlo da subsidiária brasileira Escelsa.

A pressionar o PSI20, a Portugal Telecom (PT) [PTC] caía 0,17% para os 5,99 euros, tal como a Vodafone Telecel [TLE] cujas acções retraíam 0,67% até aos 7,36 euros.

A Sonae SGPS [SON] desvalorizava 1,96% para os 0,50 euros, enquanto no sector da banca, o banco Comercial Português (BCP), marcava 2,76 euros, sem alterações na cotação.

Vivendi Universal lidera subidas na Europa

No resto da Europa, as maiores praças negociavam em subida, com a tendência geral espelhada na valorização de 1,05% do DJ Stoxx 50 que marcava 2.791,42 pontos.

O CAC 40 [CAC] crescia 1,32% para os 3.418,59 pontos, e as acções da Vivendi Universal lideravam os ganhos com uma subida de 7,5% para os 10 euros.

A segunda maior empresa de media do mundo, depois de ter desvendado a intenção de vender 10 mil milhões de euros em activos, negou a alienação das unidades de música e entretenimento nos Estados Unidos (EUA).

Na Bolsa de Madrid, o IBEX 35 [IBEX] apreciava 1,61% para os 6.428,30 pontos. A suportar as subidas do índice, a Telefónica subia 2,2%, o Santander Central Hispano (SCH) crescia 1,8% e o Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (BBVA) avançava 2,1%. As acções da Endesa e da Iberdrola valorizavam ambas mais de 1%, depois do jornal «La Vanguardia» ter noticiado que as duas maiores eléctricas espanholas poderiam voltar a tentar a fusão.

O DAX [DAX] alemão valorizava 0,64% a cotar nos 3.708,27 pontos, suportado nos ganhos da tecnológica Infineon que valorizava 3,2% para os 12,18 euros, seguida pelos papéis do operadora Deutsche Telekom que avançavam 0,5% até aos 11,05 euros.

Em Londres, o FTSE 100 [UKX] progredia 1,09% a marcar 4.377 pontos, e a empresa de media Granada comandava os ganhos com uma subida de 7,4% para as 0,80 libras (1,25 euros), enquanto a Carlton Communications avançava 5,8% para as 1,36 libras (2,12 euros). A Carlton Communications, rival da Granada, irá combinar as suas unidades, com o intuito de reconquistar os clientes de publicidade e cortar nos custos.

O AEX de Amsterdão subia 1,66% a marcar 375,22 pontos, e entre as mais líquidas, a Royal Dutch Petroleum crescia 0,9% para os 47,06 euros, enquanto a Philips Electronics valorizava 3,63% a valer 21,99 euros.

Outras Notícias