Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Volkswagen já reuniu apoio necessário para oferta de 6,7 mil milhões pela Scania

Depois de algum impasse, a Volkswagen conseguir reunir o apoio do quinto maior accionista da Scania para adquirir o controlo total sobre a empresa. Um fundo de pensões sueco recuou e aceitou a oferta da construtora alemã. Acções das empresas sobem em bolsa.

Bloomberg
Ana Laranjeiro alaranjeiro@negocios.pt 13 de Maio de 2014 às 10:48
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

Apesar da Scania ter recomendado aos seus accionistas que não aceitassem a oferta da Volkswagen, a construtora alemã já conseguiu reunir o apoio necessário para avançar com a oferta de 6,7 mil milhões de euros pela totalidade da empresa sueca. Esse apoio chega através dos accionistas minoritários.

 

A Alecta, um fundo de pensões da Suécia que detém 2,04% da construtora sueca, decidiu aceitar a oferta da Volkswagen apesar de a ter inicialmente recusado.

 

“Depois de novas conversações com a Volkswagen, a nossa conclusão é que não pode ser alcançado um valor de oferta mais elevado”, afirma o fundo Alecta, em comunicado citado pela Bloomberg. “Apesar da oferta não reflectir na totalidade o valor de longo prazo da Scania, acreditamos que é aceitável”, acrescenta.

 

Esta decisão do fundo de pensões sueco surge depois de o Investor AB – que detém 0,4% das acções da Scania – ter aceite a oferta da construtora germânica. Tal como a Alecta, também o Investor AB também rejeitado a oferta inicial da Volkswagen. Porém, a 30 de Abril a empresa alemã revelou que tinha conseguido obter 88,25% das acções da empresa sueca, o que fez com que a detentora de 0,4% da Scania mudasse de opinião.

 

A Volkswagen já detém dois terços da empresa sueca e com estes apoios obtém 90,47%, um valor acima dos 90% exigidos pela lei da Suécia para que a operação possa concretizar-se.

 

A construtora alemã pretende a integração total da empresa sueca. O objectivo é aprofundar a cooperação entre a Scania e a MAN, controlada pelo grupo Volkswagen, de forma a criar uma unidade mundial de veículos pesados para fazer frente a empresas como a Daimler e a Volvo.

 

“Podemos agora dar o próximo passo lógico e consistente na nossa estratégia de fortalecimento da integração operacional entre Scania, MAN e os veículos comerciais da Volkswagen e criar um grupo líder nos veículos comerciais”, afirmou Martin Winterkorn, CEO da construtora germânica, em comunicado citado pela Bloomberg.

 

As acções das duas empresas estão a subir. Os títulos da Volkswagen crescem 0,76% para 193,25 euros e as acções da Scania avançam 0,15% para 199,80 coroas suecas (pouco mais de 22 euros).

Ver comentários
Outras Notícias