Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Wall Street arrastada para o vermelho

As bolsas norte-americanas fecharam a primeira sessão desta semana a cair. A volatilidade voltou, com interrogações em relação às reuniões de bancos centrais e ao referendo do Reino Unido.

Bloomberg
Negócios 13 de Junho de 2016 às 21:40
Wall Street fechou o dia, também, no vermelho, acompanhando o que se passou na generalidade das praças da Ásia à Europa.

O S&P 500 cair para mínimos de três semanas. Uma queda no fecho de 0,81%, que colocou o índice nos 2.079,06 pontos. A mesma tendência registaram o Dow Jones e o Nasdaq. O Dow Jones fechou a perder 0,74% para 17.732,48 pontos e o Nasdaq desvalorizou 0,94% para 4.848,441 pontos.

Os 10 sectores integrados no S&P 500 sofreram todos perdas, com as matérias-primas e as tecnológicas a sofrerem as maiores quedas. No ano o índice vai com uma valorização de 1,7%. 

Nem o anúncio de um dos maiores negócios tecnológicos - a Microsoft revelou a intenção de ficar com o LinkedIn - animou no fecho.

Não só não impulsionou os índices, como contribuiu, mesmo, para a sua queda. A Microsoft caiu 2,6%, ainda que o LinkedIn tenha registado uma valorização de 46,6%.

Também a Apple, que apresentou esta segunda-feira, 13 de Junho, alguns dos seus projectos, caiu 1,5%. Com o sector sob pressão, o Facebook caiu 2,3%, tendo a CNBC noticiado que o Citron Research estava a apostar na queda das acções. 

A contribuir para este movimento, de mais forte volatilidade, está a expectativa em torno das reuniões da Reserva Federal norte-americana e do Banco do Japão, a realizar-se esta semana, mas também o aproximar do referendo no Reino Unido sem que as sondagens apontem num sentido muito claro. 

(Notícia actualizada com mais informação)
Ver comentários
Saber mais Bolsas Wall Street
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio