Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Quanto pagam e rendem os dividendos das cotadas do PSI-20

Conheça os dividendos que as empresas do PSI-20 vão pagar e quanto rendem.

Ramada

Ramada

Dividendo: 1,75 euros

Variação: -22%

Dividend yield: 22,6%

Remuneração total: 44,9 milhões de euros

Payout: 64%

 

A Ramada volta a ser a cotada portuguesa com o dividendo mais rentável. Já pagou um dividendo de 1,15 euros relativo ao exercício de 2018 e vai distribuir outro de 0,60 euros por ação.

Altri

Altri

Dividendo: 0,72 euros

Variação: 140%

Dividend yield: 10,1%

Remuneração total: 147,7 milhões de euros

Payout: 76%

 

Após duplicar os lucros de 2018, a Altri decidiu aumentar ainda mais o dividendo. A subida de 140% coloca a empresa de pasta e papel com o segundo "dividend yield" do PSI-20 e que também tem dois dígitos. Os acionistas da Altri vão receber perto de 150 milhões de euros, o que corresponde a um "payout" de 76%.

Sonae Capital

Sonae Capital

Dividendo: 0,074 euros

Variação: 23%

Dividend yield: 8,3%

Remuneração total: 18,5 milhões de euros

 

A Sonae Capital registou em 2018 o segundo ano seguido de prejuízos. Mesmo assim decidiu aumentar o dividendo em 23%. A rendibilidade do dividendo está próxima dos dois dígitos.

Navigator

Navigator

Dividendo: 0,27943 euros

Variação: 0,2%

Dividend yield: 6,8%

Remuneração total: 200,4 milhões de euros

Payout: 89%

 

A Navigator está habitualmente no topo dos melhores dividendos e este ano não é exceção. A empresa propõe o pagamento de um dividendo de 27,943 cêntimos, o que se situa ligeiramente acima do valor do ano passado e corresponde a um "payout" de 89%.

REN

REN

Dividendo: 0,171 euros

Variação: 0%

Dividend yield: 6,6%

Remuneração total: 114,1 milhões de euros

Payout: 99%

 

A REN comprometeu-se a manter o dividendo nos próximos quatro anos, pelo que anunciou esta semana que vai voltar a remunerar os acionistas com 17,1 cêntimos por ação. O "dividend yield" é um dos mais elevados da bolsa portuguesa, bem como o "payout", já que a empresa liderada por Rodrigo Costa vai entregar aos acionistas quase todos os lucros que obteve no ano passado. 

Novabase

Novabase

Dividendo: 0,15 euros

Variação: 0%

Dividend yield: 6%

Remuneração total: 4,7 milhões de euros

 

A Novabase apresenta um dos dividendos mais rentáveis da bolsa portuguesa. A tecnológica manteve o dividendo em 15 cêntimos, entregando aos acionistas quase 5 milhões de euros, o que corresponde aos lucros obtidos.

Nos

Nos

Dividendo: 0,35 euros

Variação: 17%

Dividend yield: 6,2%

Remuneração total: 180,3 milhões de euros

Payout: 128%

 

A Nos é outra das empresas que aumenta mais o dividendo do que os lucros. A operadora também mantém a política de entregar aos acionistas bem mais do que os resultados obtidos. O "payout" é de 128%, com os acionistas da operadora a receberem um total de 180,3 milhões de euros. 

EDP

EDP

Dividendo: 0,19 euros

Variação: 0%

Dividend yield: 5,6%

Remuneração total: 694,7 milhões de euros

Payout: 134%

 

A queda superior a 50% nos lucros não impediu a EDP de manter o dividendo. A elétrica tem por isso o maior "payout" do PSI-20 e é de longe a que entrega mais dinheiro aos acionistas. Vão receber perto de 700 milhões de euros, sendo que para tal a elétrica teve que "esticar" o "payout" até aos 134%.

Sonae SGPS

Sonae SGPS

Dividendo: 0,0441 euros

Variação: 5%

Dividend yield: 4,6%

Remuneração total: 88,2 milhões de euros

Payout: 40%

 

A Sonae decidiu elevar o valor do dividendo em 5%, num ano em que os lucros registaram um aumento bem superior (33,7%). Os acionistas vão receber 88,2 milhões de euros, ou 4,41 cêntimos por ação, o que corresponde a 40% dos lucros. A rendibilidade é inferior a 5%, o que coloca a Sonae no 8.º lugar do ranking.

Galp Energia

Galp Energia

Dividendo: 0,63

Variação: 15%

Dividend yield: 4,5%

Remuneração total: 522,4 milhões de euros

Payout: 74%

 

A Galp Energia decidiu aumentar o dividendo pelo segundo ano consecutivo. Em setembro já pagou 27,5 cêntimos e irá distribuir mais 35,5 cêntimos. 74% dos lucros vão para os acionistas, num total superior a 500 milhões de euros. Depois da EDP, a petrolífera é a que entrega o valor mais elevado aos acionistas.

Sonaecom

Sonaecom

Dividendo: 0,112 euros

Variação: 202%

Dividend yield: 4,5%

Remuneração total: 34,8 milhões de euros

 

A Sonaecom é a cotada que mais aumenta a remuneração aos acionistas, aproveitando o facto de os lucros terem triplicado em 2018 para 70 milhões de euros. O dividendo sobe na mesma proporção dos lucros, para 11,2 cêntimos por ação, o que corresponde a um retorno de 4,5%. O "payout" é de 50%.

CTT

CTT

Dividendo: 0,10

Variação: -74%

Dividend yield: 3,9%

Remuneração total: 15 milhões de euros

Payout: 77%

 

A empresa dos correios é a que aplica o maior corte ao dividendo, refletindo a descida nos lucros. Chegou a ter a melhor remuneração, mas agora o "dividend yield" não chega aos 4%. Os acionistas recebem apenas 15 milhões de euros, o que representa 77% dos lucros obtidos.

Semapa

Semapa

Dividendo: 0,512 euros

Variação: 0%

Dividend yield: 3,5%

Remuneração total: 41,6 milhões de euros

Payout: 31%

 

A Semapa optou por manter o valor do dividendo apesar de os lucros de 2018 terem aumentado 7%. A remuneração é de 51,2 cêntimos por ação, num total de 41,6 milhões de euros, o que representa um "payout" inferior a um terço dos lucros.

Mota-Engil

Mota-Engil

Dividendo: 0,074 euros

Variação: -

Dividend yield: 3,4%

Remuneração total: 17,6 milhões de euros

Payout: 73%

 

Depois de um interregno no ano passado, a construtora volta a remunerar os acionistas em 2019. Prometeu um payout entre 50% a 75%, o que traduzia um dividendo entre 5 e 7 cêntimos. A proposta final ficou próxima do ponto máximo, com um dividendo de 7,4 cêntimos por ação.

Jerónimo Martins

Jerónimo Martins

Dividendo: 0,325 euros

Variação: -47%

Dividend yield: 2,4%

Remuneração total: 204,5 milhões de euros

Payout: 51%

 

A Jerónimo Martins decidiu este ano retomar a política de entregar aos acionistas cerca de metade dos lucros, pelo que o dividendo sofre um corte de 47% apesar dos lucros terem subido. Em consequência, o "dividend yield" já está abaixo do 3%, uma rendibilidade que também é afetada pelo bom desempenho das ações nos últimos meses.

Corticeira Amorim

Corticeira Amorim

Dividendo: 0,185 euros

Variação: 0%

Dividend yield: 1,7%

Remuneração total: 24,6 milhões de euros

Payout: 32%

 

A Corticeira Amorim decidiu manter o dividendo de 18,5 cêntimos depois de ter aumentado os lucros em 6%. No final do ano passado pagou um dividendo extraordinário de 8,5 cêntimos.

Ibersol

Ibersol

Dividendo: 0,10 euros

Variação: 0%

Dividend yield: 1,5%

Remuneração total: 3,6 milhões de euros

Payout: 14%

 

A Ibersol volta a pagar aos acionistas um dividendo de 10 cêntimos por ação, o que representa um "dividend yield" pouco acima de 1%. Apesar dos lucros até terem descido 20%, o payout continua a ser um dos mais baixos da bolsa portuguesa.

BCP

BCP

Dividendo: 0,002 euros

Variação: -

Dividend yield: 0,9%

Remuneração total: 30,2 milhões de euros

Payout: 10%

 

Pela primeira vez desde 2010, o BCP vai pagar dividendos aos acionistas. O banco indicou que pretende entregar 10% dos lucros, pelo que a rendibilidade do dividendo é inferior a 1%. O objetivo do BCP passa por "convergir para um payout de 40%". Quando lá chegar a rendibilidade do dividendo deverá aumentar de forma considerável.

EDP Renováveis

EDP Renováveis

Dividendo: 0,07 euros

Variação: 17%

Dividend yield: 0,8%

Remuneração total: 61,1 milhões de euros

Payout: 20%

 

A empresa de energias verdes da EDP até aumentou o dividendo, mas o "dividend yield" continua a ser o mais baixo entre as cotadas do PSI-20. 20% dos lucros vão para os acionistas, o que representa um dividendo de 7 cêntimos e um "payout" de 20%.

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 23 de Março de 2019 às 15:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • 17
  • ...

Está a acabar a época de apresentação de resultados anuais por parte das cotadas portuguesas e quase todas já comunicaram também as suas propostas de remuneração aos acionistas.

 

E é cada vez maior o número de empresas que entrega aos acionistas parte dos lucros. Tendo em conta as 18 empresas do PSI-20, só a Pharol não vai pagar dividendos (a Ibersol é a única do índice que ainda não anunciou resultados mas também deverá remunerar os acionistas).

 

Entre as 16 empresas cujos valores são conhecidos, seis aumentam o dividendo, cinco mantêm e apenas três baixam. E há duas (BCP e Mota-Engil) que regressam à política de remunerar os acionistas.

 

Contas feitas, as 17 empresas do PSI-20 que pagam dividendos deverão entregar aos acionistas pouco mais de 2,4 mil milhões de euros em dividendos.

 

O valor é idêntico ao do ano passado, mas como em 2018 os lucros das cotadas do PSI-20 desceram 3%, o "payout" sobe dois pontos percentuais para 69%.

 

Quanto à rendibilidade dos dividendos, há para todos os gostos nas cotadas do PSI-20. Em termos médios o "dividend yield" é superior a 4%. Em termos individuais há várias cotadas com rendibilidades de dois dígitos, mas também dividendos que rendem menos de 1%.

 

Para ver os dividendos que as empresas do PSI-20 vão pagar, e quanto rendem, veja o slideshow em cima ou clique aqui caso esteja a ler esta notícia da app.


Negócios explica evolução dos dividendos
A carregar o vídeo ...
A maioria das cotadas portuguesas já revelou o valor dos dividendos que vai pagar aos acionistas este ano. Nuno Carregueiro, jornalista do Negócios, analisa as principais conclusões.

 

Ver comentários
Saber mais PSI-20 dividendos dividend yield payout
Mais lidas
Outras Notícias