Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

REN pretende "manter ou aumentar progressivamente os seus dividendos"

No prospecto da oferta pública de venda a REN alerta contudo que a Contribuição Extraordinária para o Sector Energético "poderá afectar a aptidão" da empresa para pagar dividendos no futuro.

Miguel Baltazar/Negócios
Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 02 de Junho de 2014 às 13:50
  • Assine já 1€/1 mês
  • 6
  • ...

Desde que está cotada em bolsa, a REN tem vindo, todos os anos, a aumentar o dividendo que paga aos accionistas. O objectivo passa por manter esta política, embora a empresa alerte que não depende só dela cumprir esta meta.

 

"A REN irá procurar, no mandato em curso, manter ou aumentar progressivamente os seus dividendos, na medida do que seja possível, tendo em conta, a sua performance e situação financeira, o seu investimento, entre outros factores", refere a REN no prospecto da oferta pública de venda (OPV), que já arrancou esta segunda-feira, 2 de Junho.

 

A empresa inscreve este objectivo no capítulo dos pontos fortes da companhia, embora noutros pontos do prospecto alerte que há factores externos à empresa que podem comprometer esta meta.

 

"A política de dividendos está dependente de um conjunto de factores, incluindo os resultados distribuíveis, a situação financeira, as necessidades de financiamento (em especial, o CAPEX e o plano de investimento), as perspectivas de negócio, as condições aplicáveis ao desenvolvimento das actividades do emitente e outros factores considerados relevantes aquando da alocação de resultados", refere o prospecto.

 

CESE pode limitar distribuição de dividendos

 

A REN, uma das empresas do PSI-20 que atribui um dos dividendos mais rentáveis, refere, no entanto, que o prolongamento da Contribuição Extraordinária para o Sector Energético (CESE) em anos futuros pode prejudicar a distribuição de dividendos. 

 

"A aplicação, em 2014, da CESE sobre as empresas no sector energético poderá ser prolongada em anos futuros e, pelo menos, a 2015, o que poderá afectar a aptidão do emitente para pagar dividendos no futuro", lê-se no prospecto da empresa.

 

A CESE (Contribuição Extraordinária para o Sector Energético) foi aplicada este ano e custará à REN cerca de 25 milhões de euros. A empresa alerta que "embora o pagamento da CESE esteja previsto apenas para o ano de 2014, é possível que a CESE seja mantida em 2015 e anos seguintes, não podendo a REN assegurar que a mesma não se manterá em exercícios futuros, nem que um imposto similar ou mais alto não venha a ser criado no futuro, quer com carácter temporário quer permanente".

 

Este ano a empresa liderada por Rui Vilar pagou um dividendo de 17,1 cêntimos por acção, entregando aos accionistas 75% dos lucros. A empresa conseguiu este ano o estatuto de dividendo mais rentável da praça portuguesa ("dividend yield" superior a 6%).

 

Esta política de dividendos atractiva deverá ser um dos trunfos para conquistar investidores na OPV que arrancou esta segunda-feira e através do qual o Estado vai sair do capital da empresa, ao alienar os últimos 11%.

 

Depois de publicado o prospecto da operação no sábado, os investidores que pretendam comprar acções já podem fazê-lo desde o início da manhã desta segunda-feira. No total, para estes investidores, estão disponíveis 11,74 milhões de títulos. O preço de cada uma das acções não está fixado.

 

 

 

 

Ver comentários
Saber mais REN Contribuição Extraordinária do Sector Energético Rui Vilar OPV dividendos
Outras Notícias