Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Sonae, Portucel e Semapa pagam 268 milhões em dividendos extraordinários

Depois da Altri, Corticeira Amorim e Jerónimo Martins, agora foi a vez de a Sonae, Portucel e Semapa anunciarem o pagamento de dividendos extraordinários aos accionistas. Excesso de reservas ou medo de aumento da carga fiscal?

Pedro Elias/Negócios
  • Assine já 1€/1 mês
  • 10
  • ...

Há cada vez mais empresas a anunciar o pagamento de dividendos antecipados aos accionistas. Só esta segunda-feira foram três as cotadas que convocaram assembleias-gerais extraordinárias com o único propósito de aprovar o pagamento de dividendos através da distribuição de reservas.

 

No total a Sonae, Portucel e Semapa vão pagar 268 milhões de euros aos accionistas em dividendos extraordinários, com a remuneração a traduzir rendibilidades acima de 3,5%.

 

A Altri, a Corticeira Amorim e a Jerónimo Martins já tinham anunciado o mesmo e os pagamentos serão também efectuados até ao final de 2015. Uma corrida ao pagamento de dividendos até final do ano, que é pouco comum e poderá estar relacionada com os receios de aumento do tributação sobre os dividendos.

 

Numa altura em que parece mais próxima a indigitação de António Costa como primeiro-ministro, ganha força a perspectiva de serem implementadas alterações na tributação dos dividendos. O acordo à esquerda prevê que o regime de eliminação de dupla tributação sobre os lucros em IRC só se aplique a participações mínimas de 10% em diante, contra os actuais 5%.

 

"Desempenho favorável"

 

Nenhuma das cotadas justifica a decisão de pagar dividendos extraordinários com esta perspectiva de agravamento fiscal e Pedro Soares dos Santos já afirmou mesmo que a distribuição dos dividendos não está relacionada com mudança de Governo, mas antes com os resultados da cotada.

É o mesmo argumento que utilizam a Sonae, a Portucel e a Semapa, que esta segunda-feira fizeram o anúncio de pagamento de dividendos extraordinários.

 

Primeiro foi a Sonae SGPS, que justificou o pagamento de 77 milhões de euros em dividendos devido ao facto de apresentar reservas livres no montante de 1.420.254.922 euros. A empresa liderada por Paulo Azevedo vai pagar um dividendo de 0,0385 euros por acção, tendo convocado uma assembleia-geral extraordinária para 16 de Dezembro.

  

Este dividendo extraordinário, tendo em conta a cotação actual das acções, representa um rendibilidade de 3,5%.

 

Mais ao final do dia foi a vez da Portucel e da Semapa também anunciarem dividendos extraordinários. A empresa de pasta e papel liderada por Diogo da Silveira vai pagar dois dividendos. Um de 0,0418 a título de adiantamento sobre os lucros e outro de 0,1395 euros através da distribuição de resultados transitados.

 

No total a Portucel vai entregar 130 milhões de euros aos accionistas, em dois dividendos que no conjunto representam uma remuneração de 0,1813 por acção, o que traduz uma rendibilidade de 4,76% face ao fecho de segunda-feira.

 

Já a Semapa convocou uma assembleia-geral para pagar um dividendo de 0,75 euros por acção, através da distribuição de reservas livres no montante de 61.229.994,75 euros. A remuneração representa uma rendibilidade de 5,85%.

 

A Portucel e a Semapa são controladas pela família de Pedro Queiroz Pereira e ambas justificam esta distribuição de reservas exreordinária com o "desempenho favorável" das empresas.

 

Os divendos extraordinários anunciados esta segunda-feira por Portucel, Semapa e Sonae perfazem um total de 268 milhões de euros.

 

Dinheiro que vai entrar nas contas dos accionistas no mês de Dezembro e que se for somado aos montantes já anunciados pela Altri, Corticeira Amorim e Jerónimo Martins (319 milhões de euros), dá um total de 587 milhões de euros em dividendos antecipados das cotadas portuguesas.
Ver comentários
Saber mais dividendos Corticeira Amorim Sonae Portucel Altri Jerónimo Martins Sonae SGPS
Outras Notícias