OPV dos CTT Estado encaixa 579 milhões com privatização de 70% dos CTT

Estado encaixa 579 milhões com privatização de 70% dos CTT

Junto dos pequenos investidores a oferta rendeu 115 milhões de euros.
Estado encaixa 579 milhões com privatização de 70% dos CTT
Bloomberg
Nuno Carregueiro 04 de dezembro de 2013 às 18:13

A privatização de 70% do capital dos CTT vai render aos cofres do Estado um total de 579.021.895, tendo em conta os resultados da operação, divulgados esta quarta-feira pela Euronext Lisbon.

 

Na OPV foram vendidas 21 milhões de acções, que geraram um encaixe de 115.341.895 euros.  Grande parte deste total foi angariado junto do público em geral, que investiu 104.523.077 euros. Os trabalhadores deram ordem para comprar 2.064.660 acções, investindo 10.818.818 euros na empresa onde trabalham.

 

A grande fatia da receita com a privatização dos CTT foi obtida com a venda directa a investidores institucionais. Assumindo o lote suplementar de 9.545.454 acções exercido, o Estado terá um encaixe de 463,68 milhões de euros com a colocação de 80 milhões de acções junto dos institucionais.

 

Desta forma, o encaixe total para o Estado será de 579.021.895 euros, sendo que as despesas com a operação serão suportadas pela própria empresa. Esta soma será utilizada pelo Estado para abater na dívida pública. 

 

Os investidores institucionais ficaram com 80% da oferta de acções dos CTT, com os investidores particulares a ficarem com os restantes 20%.

 

Dado que o Governo privatizou 70% do capital dos CTT, os investidores institucionais passam a controlar 56% do capital da empresa liderada por Francisco Lacerda. Os pequenos investidores [público em geral (12,62%) e trabalhadores (1,38%)] ficam com 14% e os restantes 30% continuam nas mãos do Estado.

 

De acordo com os resultados da oferta, os CTT ficarão com um “free float” (percentagem de capital nas mãos de accionistas com posições abaixo de 2%) acima de 50%.

 

 




Saber mais e Alertas
pub