OPV dos CTT Quem der ordens para comprar acções dos CTT até segunda-feira beneficia de rateio 100% superior

Quem der ordens para comprar acções dos CTT até segunda-feira beneficia de rateio 100% superior

Pequenos investidores podem comprar no máximo 25 mil acções dos CTT. Ordens podem ser dadas em múltiplos de 10 e as que forem efectuadas até 25 de Novembro beneficiam de um rateio superior.
Nuno Carregueiro 19 de novembro de 2013 às 12:26

A oferta pública de venda (OPV) dos CTT está dividida em duas fases, sendo que as ordens de compra que forem dadas no primeiro período, que termina na próxima segunda-feira, beneficiam de um rateio superior.

 

De acordo com o prospecto publicado esta terça-feira na CMVM, a OPV dos CTT arranca já hoje, pelo que os investidores particulares interessados na operação já podem transmitir as ordens de compra junto do seu intermediário financeiro.

 

O primeiro período da OPV arranca esta terça-feira e termina a 25 de Novembro e o segundo período arranca a 26 de Novembro e termina a 2 de Dezembro.

 

A grande diferença entre os dois períodos é que as ordens dadas no primeiro beneficiam de um “coeficiente de rateio superior, em 100%, em relação àqueles investidores cujas ordens sejam transmitidas durante o segundo”, refere o prospecto.

 

Ou seja, uma ordem de um certo número de acções, transmitida até à próxima segunda-feira, receberá o dobro dos títulos que serão atribuídos a uma ordem da mesma dimensão dada durante o segundo período. Isto caso a procura de acções na OPV exceda a oferta, obrigando à aplicação de um factor de rateio às ordens dos investidores. Este rateio só será apurado na sessão especial de bolsa, agendada para 4 de Dezembro, vésperas da entrada em bolsa da companhia.

 

O rateio é um factor que é apurado no final do período de trasmissão de ordens, caso a procura exceda a oferta. Este factor de rateio será aplicado ao número de acções da ordem de cada investidor. Por exemplo, se o factor de rateio ficar fixado em 0,2, uma ordem de mil acções transmitida na segunda fase receberá 200 acções dos CTT. Já a mesma ordem transmitida na primeira fase receberá 400 acções, pois o rateio é 100% superior.

 

O prospecto alerta que se uma ordem transmitida durante o primeiro período for alterada para uma quantidade de acções superior durante o segundo período, as condições preferenciais do primeiro período só serão aplicáveis às acções cuja ordem foi transmitida durante o primeiro período. Já se uma ordem transmitida durante o primeiro período for alterada para uma quantidade de acções inferior durante o segundo período, o investidor terá direito às condições preferenciais para a quantidade final de acções.

 

Cada investidor apenas poderá apresentar uma ordem de compra por cada lote podendo candidatar-se a adquirir acções cumulativamente em lote destinado ao público em geral e no lote reservado aos trabalhadores dos CTT.

 

No calendário da OPV há ainda outra data relevante, que os investidores devem ter em conta. Todas as ordens podem ser anuladas até 26 de Novembro, sendo que a partir de 27 de Novembro estas já não podem ser canceladas. As ordens podem ser efectuadas até 2 de Dezembro, sendo que no dia seguinte será anunciado o preço final de venda das acções (o intervalo de preços foi fixado entre 4,10 e 5,52 euros). A 4 de Dezembro decorrerá a sessão especial de bolsa para apurar os resultados da oferta e no dia seguinte, 5 de Dezembro, as acções começam a negociar em bolsa.

 

Ordens máximas de 25 mil acções

 

Os investidores particulares (público em geral) devem dar ordens de compra de acções dos CTT em múltiplos de 10, até um máximo de 25 mil acções. No lote destinado aos trabalhadores, o número máximo de acções é de 2.500.

 

Não há número mínimo de acções nas ordens, sendo que não podem ser menos de 10. Caso a procura exceda a oferta, haverá lugar a rateio, sendo que as acções a atribuir serão também sempre em múltiplos de 10.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI