Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Altri passa a ser uma das acções preferidas do BPI na Península Ibérica

O potencial para beneficiar com a esperada subida do dólar é um dos factores que aumenta o optimismo do BPI para a Altri. A papeleira substitui a Impresa na lista das favoritas.

Edgar Caetano edgarcaetano@negocios.pt 10 de Setembro de 2014 às 13:59
  • Assine já 1€/1 mês
  • 7
  • ...

O BPI actualizou o preço-alvo das acções da Altri para o final de 2015 e colocou o "target" em 3,00 euros por acção, uma redução de 10% face à previsão anterior. É um potencial de valorização de cerca de 23% que justifica a inclusão da papeleira na lista de favoritas ("Core Buy") dos analistas do BPI. A recomendação anterior era de "neutral".

 

Os analistas José Rito e Bruno Bessa acreditam que a dinâmica recente nos preços da pasta de papel "parece indicar que os preços estão perto de bater no fundo". Algo comprovado pelo facto de o aumento recente da produção por parte de algumas concorrentes não ter tido, diz o BPI, um impacto significativo nos preços.

 

A ajudar à perspectiva do BPI de que "há espaço para um aumento dos preços da pasta no quarto trimestre" está o facto de a procura proveniente da China estar a ser fraca e "poderá acelerar até ao final do ano", diz o banco.

 

O BPI acrescenta que a Altri tem "activos altamente eficientes e uma gestão focada que deverá trabalhar na redução do endividamento". A acção é também uma boa aposta para quem acredita que o dólar irá valorizar-se face ao euro, o que seria positivo para a empresa.

 

As acções da Altri estão a subir 3,97% na bolsa de Lisboa, para 2,433 euros. 

 

Impresa sai das favoritas

 

A recomendação "Core Buy" atribuída esta quarta-feira pelo BPI à Altri faz com que a acção se junte à lista de empresas ibéricas favoritas do banco de investimento.

 

Uma lista que inclui a Repsol, o Popular, a EDP Renováveis, a Jazztel, a Sonae, os CTT, o Liberbank, a Semapa, a Tubacex e, agora, a Altri.

 

A Impresa foi retirada deste grupo, passando a ter recomendação de "compra". O BPI está confiante de que o mercado publicitário vai continuar a ter um "ímpeto forte" mas receia que existam algumas "nuvens" a pairar sobre as receitas não-publicitárias.

 

O preço-alvo da Impresa para final de 2015 é de 2,25 euros. 

 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.

Ver comentários
Saber mais Altri research BPI Impresa
Mais lidas
Outras Notícias