Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Avaliação da Sonae SGPS sobe 7% caso venda supermercados no Brasil

A Lisbon Brokers afirma que se a Sonae SGPS alienar os seus supermercados no Brasil por 800 milhões de euros, conforme foi noticiado, subirá o preço-alvo da Sonae SGPS de 1,40 para 1,50 euros, o que representa uma melhoria de 7%.

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 02 de Agosto de 2005 às 13:41

A Lisbon Brokers afirma que se a Sonae SGPS alienar os seus supermercados no Brasil por 800 milhões de euros, conforme foi noticiado, subirá o preço-alvo da Sonae SGPS de 1,40 para 1,50 euros, o que representa uma melhoria de 7%.

As negociações entre a Wal-Mart e a Sonae, para a aquisição dos supermercados da empresa portuguesa no Brasil, por parte da maior distribuidora do mundo, estão já na recta final, noticiou ontem o «Valor Econômico». Na semana passada o site especializado em fusões e aquisições Mergermarket tinha adiantado que o valor do negócio poderia ascender a 800 milhões de euros.

Se «a Modelo Continente vendesse as suas operações de retalho no Brasil à Wal-Mart pelo o valor noticiado no mercado, ou seja, 800 milhões de euros, a nossa avaliação da Sonae, SGPS passaria dos actuais1,40 euros por acção para 1,50 euros por acção, ou seja, uma melhoria a rondar os 7%», refere a Lisbon Brokers.

O BPI também já tinha afirmado que subiria o preço–alvo da Sonae SGPS em 12 cêntimos, para 1,62 euros, caso este negócio seja concretizado.

John dos Santos, da Lisbon Brokers, acrescenta que reitera a recomendação de compra para as acções da Sonae SGPS, até porque o preço-alvo de 1,40 euros para o final do ano, incorpora um potencial de valorização de 18% e não incorpora qualquer venda de activos.

A Sonae SGPS não comenta a notícia e a Wal-Mart, maior retalhista do mundo, apenas afirma que quer expandir o seu negócio no mercado brasileiro.

As acções da Sonae SGPS seguiam a subir 1,68% para os 1,21 euros.

Outras Notícias
Publicidade
C•Studio