Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

BESI reitera Sonae como "bala de prata" mas não sobe "target"

O preço-alvo da Sonae SGPS mantém-se nos 1,47 euros, o que tem implícita uma expectativa de valorização de 13%. A recomendação continua a ser de "comprar" e a Sonae permanece como "bala de prata".

21.º- Paulo Azevedo 
É uma das maiores subidas do ano, depois de estreitar relações com Isabel dos Santos.
Diogo Cavaleiro diogocavaleiro@negocios.pt 02 de Junho de 2014 às 12:23
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

A unidade de retalho alimentar da Sonae, o Modelo Continente, está a sofrer com uma concorrência excessiva. Já o segmento de retalho não alimentar, com a Worten e Sport Zone, está a recuperar mais rapidamente do que o antecipado. É um jogo de compensações que faz com que o preço-alvo atribuído pela unidade de investimento do Banco Espírito Santo à empresa liderada por Paulo Azevedo se mantenha intacto.

 

O preço-alvo atribuído pelo BESI à Sonae SGPS continua a ser de 1,47 euros, tendo implícito um potencial de valorização de 13% face aos 1,302 euros a que a empresa negoceia esta segunda-feira, 2 de Junho, em bolsa.

 

Do lado positivo para esta avaliação está a recuperação do retalho não alimentar. "Acreditamos que a unidade SR [retalho não alimentar] está muito bem posicionada para beneficiar da recuperação esperada no consumo privado em Portugal, onde a Worten e a SportZone são líderes indiscutíveis com quotas de mercado em torno de 30%", comenta a equipa de analistas liderada por Filipe Rosa na nota de "research" publicada esta segunda-feira, 2 de Junho. Apesar disso, Espanha continua a trazer dúvidas.

 

Ainda a puxar pelo optimismo dos analistas do BESI está a unidade Sonae Sierra, que beneficia do interesse de investidores estrangeiros por activos imobiliários e por investimentos em centros comerciais.

 

Em sentido inverso, destaca-se o retalho alimentar, que sofre com a forte concorrência promocional dos congéneres, o que tem um impacto negativo na rentabilidade e nas margens operacionais. Também a participação de 90% na Sonaecom dá um contributo mais negativo nas estimativas dos analistas.

 

Assim, depois destas avaliações, o preço-alvo mantém-se intacto nos 1,47 euros mas, dado o potencial de valorização, a recomendação continua a ser de "comprar". Porque o seu valor "ainda é atractivo", apesar de já ter subido 24% desde o início do ano.

 

A Sonae SGPS permanece como uma "bala de prata". Há vários factores para isso: as acções devem continuar a ganhar devido ao bom momento em termos de resultados. E, além disso, está "posicionada para beneficiar da recuperação macroeconómica que se iniciou na Península Ibérica".

 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.

Ver comentários
Saber mais Sonae BESI Paulo Azevedo research
Outras Notícias