Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

BESI retira cotadas portuguesas da lista de preferidas para o primeiro trimestre

A unidade de investimento do BES publicou a lista de “balas de prata” que recomenda aos cliente, tendo retirado as portuguesas PT e Galp Energia da lista de preferidas, após estas ficarem abaixo do índice de referência no último trimestre.

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 08 de Janeiro de 2014 às 15:32
  • Assine já 1€/1 mês
  • 7
  • ...

Os analistas do BES Investimento estão optimistas para o primeiro trimestre deste ano, após um final de 2013 em que as suas recomendações bateram o desempenho do índice de referência por uma margem de 0,3 pontos percentuais, segundo a nota de research em que o banco dá conta das suas recomendações “bala de prata” para os primeiros três meses de 2014.

 

As recomendações para o primeiro trimestre deste ano reflectem o optimismo dos analistas, que incluem 12 recomendações de compra e quatro de venda. Entre aquelas para que os analistas estão mais pessimistas estão a Belgacom, Gás Natural, Metso e Telecity. Pelo contrário, ao Barclays continua entre as apostas ganhadoras, assim como a BHP Billiton, CaixaBank, London Stock Exchange Philips e ThyssenKrupp.

 

As cotadas portuguesas Galp Energia e Portugal Telecom, que beneficiaram de recomendações de “comprar” nos últimos três meses foram retiradas da lista após terem registado desempenhos piores do que dos respectivos índices de referência durante o quarto trimestre de 2013.

 

A petrolífera perdeu 3,1%, entre 31 de Setembro e 31 de Dezembro, ao passo que o índice de referência para as cotadas do sector avançou 4,4%. No caso da PT, o desempenho foi negativo em 5,1%, comparando com a valorização de 8,6% registada pelo respectivo índice de referência.

 

A estratégia de investimento que o BESI recomenda aos seus clientes passa por investir na subida dos 12 títulos com recomendação de “comprar” e na venda a descoberto dos quatro títulos com recomendação de “vender”. Assim, consegue reduzir o risco da sua carteira de investimento e imita a estratégia clássica, e relativamente conservadora, do fundo de cobertura de risco (“hedge fund”), criado em  1952 pelo ex-jornalista da revista norte-americana Fortune, Alfred Jones.

 

O conjunto de recomendações publicadas pelo banco, no último trimestre de 2013, incluía comprar 10 cotadas e vender outras três. A estratégia teve um retorno líquido de 3,4%. Um desempenho que supera o do índice europeu de referência Stoxx 600 em 0,3 pontos percentuais, quando ponderado pelo risco através do método de avaliação de carteiras conhecido por Jensen.

 

O desempenho bruto do Stoxx 600 foi de 5,7%, nos últimos três meses de 2013. Contudo, o risco do índice é, teoricamente, superior ao da estratégia desenvolvida pelo BESI.

 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de “research” emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de “research” na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.

Ver comentários
Saber mais BES Investimento Galp Energia Portugal Telecom PT economia negócios e finanças Informação sobre empresas
Outras Notícias