Research CaixaBank BPI: Lucros do BCP terão aumentado 12% no semestre

CaixaBank BPI: Lucros do BCP terão aumentado 12% no semestre

O BCP terá fechado o primeiro semestre com um lucro 12% superior ao registado no ano passado. Isolando o segundo trimestre, os resultados terão diminuído 90% devido a uma série de eventos não recorrentes.
CaixaBank BPI: Lucros do BCP terão aumentado 12% no semestre
Miguel Baltazar
Sara Antunes 18 de julho de 2019 às 11:34

O CaixaBank BPI prevê que o BCP tenha terminado o primeiro semestre com um resultado líquido de 169 milhões de euros, mais 12% do que em 2018, de acordo com uma nota a que o Negócios teve acesso. O banco vai revelar os seus números do primeiro semestre no próximo dia 29 de julho.

 

A contribuir para este desempenho terá estado o crescimento da margem financeira (+8% para 746 milhões de euros), para o qual contribuiu o aumento das receitas conseguidas através de comissões (+1%) e de corretagem e cambial (+21%). Do lado oposto estiveram as receitas na rubrica "equity income" (-42%). As receitas operacionais terão assim crescido 6% para um total de 1,06 mil milhões de euros.

 

As previsões do CaixaBank apontam ainda para um aumento de 2% dos custos do banco liderado por Miguel Maya, com os custos com pessoal a crescerem 12%.

 

O rácio de solvabilidade da instituição, o CET1, deverá descer de 12,7% para 12%, muito devido à consolidação do Eurobank nas contas do BCP. Foi em novembro do ano passado que o Bank Millennium, banco polaco detido em 50,1% pelo BCP, chegou a acordo para comprar o Eurobank, a unidade do Société Générale na Polónia, por 428 milhões de euros.

 

Lucros trimestrais caem 90%

 

Já analisando os números apenas do segundo trimestre, os lucros terão caído 90% para 15 milhões, devido a vários fatores. Os analistas explicam que a pesar nos resultados estiveram as contribuições para o fundo de resolução; o contributo de Angola; e uma contribuição pequena do negócio de seguros de vida, que foi afetado pelas taxas de juro baixas.

 

A pesar estiveram também os custos de reestruturação e uma fatura de 12 milhões de euros relacionada com lucros distribuídos aos trabalhadores que foram alvo de cortes de salários durante o programa de reestruturação.

 

O segundo trimestre será também marcado pela consolidação do Eurobank nas contas do BCP, o que também pesará nos resultados por via das imparidades registadas no portefólio da instituição.

As ações do BCP estão a descer 1,57% para 0,2818 euros. O preço alvo do CaixaBank BPI para o BCP está nos 0,34 euros, o que confere às ações um potencial de subida de 20,65%. 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI