Research CaixaBI estima prejuízos de três milhões para a Impresa no primeiro trimestre

CaixaBI estima prejuízos de três milhões para a Impresa no primeiro trimestre

A dona da SIC deverá apresentar as contas do primeiro trimestre na próxima quinta-feira, 28 de Abril, após o fecho do mercado.
CaixaBI estima prejuízos de três milhões para a Impresa no primeiro trimestre
Bruno simão
Raquel Godinho 22 de abril de 2016 às 10:17

A Impresa terá terminado o primeiro trimestre deste ano com prejuízos de três milhões de euros, o que representa um agravamento face às perdas de 2,8 milhões de euros registadas no mesmo período do ano passado. Esta é a estimativa do CaixaBI que prevê também uma queda das receitas e EBITDA da companhia.


O CaixaBI prevê que as receitas da empresa tenham ascendido a 49 milhões de euros, menos 2% do que no primeiro trimestre do ano passado. O banco prevê que as receitas tenham sido "afectadas negativamente pela queda nas receitas de subscrição de canais na sequência da renegociação do contrato com a MEO".


Já as receitas de publicidade na televisão terão registado "um crescimento muito reduzido (abaixo da evolução do mercado publicitário)", uma vez que a SIC tem registado níveis de audiência inferiores aos do período homólogo, quando era líder no "prime-time". Quanto à área de "publishing", deverá ter continuado a ter um "desempenho fraco", com a subida de 2% das receitas a ser anulado pela continuação da descida das receitas com venda de publicações.


Quanto ao EBITDA da empresa liderada por Francisco Pedro Balsemão (na foto), a analista Helena Barbosa prevê uma quebra homóloga de 14% para os 0,9 milhões de euros. "A margem EBITDA deverá passar de 2% no primeiro trimestre de 2015 para 1,7% nos primeiros três meses deste ano.


Pela positiva, o banco de investimento destaca a "a evolução positiva dos custos financeiros", que melhoraram 17% para os 2,9 milhões de euros.


O CaixaBI avalia as acções da Impresa em 0,75 euros, apresentando uma recomendação de "comprar". Os títulos seguem a recuar 0,29% para os 0,346 euros.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI