Research Goldman sobe avaliação da Jerónimo Martins e diz que é uma das "melhores do setor"

Goldman sobe avaliação da Jerónimo Martins e diz que é uma das "melhores do setor"

O novo preço-alvo que o Goldman Sachs atribui à Jerónimo Martins incorpora um potencial de valorização de 14%. Os resultados da retalhista no terceiro trimestre devem ser "sólidos".
Goldman sobe avaliação da Jerónimo Martins e diz que é uma das "melhores do setor"
Miguel Baltazar
Nuno Carregueiro 08 de outubro de 2019 às 11:12

O Goldman Sachs elevou o preço-alvo a 12 meses da Jerónimo Martins de 16,50 euros para 17,30 euros (+5%), tendo reiterado a recomendação de "comprar" para as ações da retalhista.

 

Numa nota de "research" a que o Negócios teve acesso, o banco de investimento justifica a melhoria com a atualização do horizonte temporal da análise, o que compensou uma ligeira revisão em baixa das estimativas de resultados.  

 

No modelo de avaliação à Jerónimo Martins, o Goldman Sachs aplica uma taxa de crescimento de 2%, acima do setor (1%), uma vez que a retalhista portuguesa está exposta a mercados em fase de crescimento (Colômbia) e formatos de desconto (Biedronka).  

 

Nesta nota de research, com data de 7 de outubro, o Goldman Sachs faz a antevisão dos resultados do terceiro trimestre que a Jerónimo Martins vai publicar a 23 de outubro.

 

Segundo o banco de investimento, a empresa liderada por Pedro Soares dos Santos terá registado "mais um trimestre sólido", com as receitas a crescerem 8% em termos homólogos para 4,7 mil milhões de euros (entre julho e setembro de 2019) e o EBITDA a aumentar 9% para 288 milhões de euros. Os lucros terão ficado em 108 milhões de euros, abaixo dos 114 milhões de euros registados no terceiro trimestre de 2018 e acima dos 100 milhões entre abril e junho deste ano.

 

"Esperamos que a Biedronka apresente um forte crescimento comparável nas vendas (6,6%) e um EBITDA de 236 milhões de euros (+10%)", refere o analista Rob Joyce.

 

Apesar de ter revisto em ligeira baixa as previsões para a unidade na Polónia, para refletir a descida da inflação nos alimentos e bebidas no país, "continuamos a ver a Jerónimo Martins como uma das melhores retalhistas no nosso universo de cobertura, em termos de modelo operacional, posicionamento na indústria e ambiente macroeconómico".

 

As ações da Jerónimo Martins sobem 0,66% para 15,165 euros. Em 2019 valorizam 46,42%.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI