Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Goldman Sachs retira Galp da lista de acções a "vender" (act.)

O Goldman Sachs retirou a Galp Energia da lista de acções a "vender", subindo a recomendação da petrolífera para "neutral". Também o preço-alvo foi revisto em alta de 20,3% para os 14,8 euros. Face à nova avaliação, o título apresenta um potencial de valorização de 15,4%.

Raquel Godinho rgodinho@negocios.pt 13 de Janeiro de 2010 às 10:17
  • Assine já 1€/1 mês
  • 4
  • ...
O Goldman Sachs retirou a Galp Energia da lista de acções a “vender”, subindo a recomendação da petrolífera para “neutral”. Também o preço-alvo foi revisto em alta de 20,3% para os 14,8 euros. Face à nova avaliação, o título apresenta um potencial de valorização de 15,4%.

“Removemos a Galp da lista de acções pan-europeias a ‘vender’ e agora atribuímos um ‘rating’ de ‘neutral’ pois acreditamos que um número de catalisadores no primeiro trimestre possa determinar o potencial de valorização do título a médio prazo”, justifica o banco de investimento.

Segundo, o banco de investimento norte-americano a recomendação de “vender” relativamente ao sector estava baseada no facto de que o mercado estava a pagar um preço justo para os actuais activos da Galp no Brasil e que a exploração estava longe de ter um impacto material na cotação.

Contudo, “com poucos catalisadores específicos”, a Galp teve um desempenho inferior face ao sector de refinação e um desempenho em linha com o sector integrado de petróleo, desde o Verão.

“Acreditamos agora que dois potenciais catalisadores de exploração no final do primeiro trimestre no BM-S-8 na Bacia de Santos e BM-ES-31 em Espírito Santo podem proporcionar potencial de valorização à cotação pois vemos o mercado a atribuir pouco valor a estes prospectos”, refere a equipa de analistas do Goldman Sachs.

Outro dos factores que pode suportar a cotação no médio prazo, segundo o Goldman Sachs, prende-se com as actualizações de estratégia dos principais “players” de petróleo no Brasil, como a Petrobras e a BG.

O Goldman Sachs também actualizou a sua avaliação para os activos de exploração e produção da Galp no Brasil, levando o preço-alvo a 12 meses a subir para os 14,8 euros face aos 12,3 euros anteriores.

Numa nota de investimento com a data de ontem, o banco frisa que continua a acreditar que “o Brasil será uma das mais importantes fontes não-OPEP de petróleo nas próximas décadas e empresas, incluindo a Galp, com participações nas reservas da Bacia de Santos estão bem posicionadas”.

As acções da empresa liderada por Ferreira de Oliveira seguiam a valorizar 1,42% para os 12,83 euros.




Ver comentários
Outras Notícias