Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Margem de EBITDA da Vivo poderá ficar abaixo dos 30% no segundo trimestre

A margem de EBITDA da Vivo, controlada pela Portugal Telecom em conjunto com a Telefónica, poderá ficar abaixo dos 30% no segundo trimestre, devido ao esforço da empresa brasileira para angariar mais clientes, consideram a Espírito Santo Research.

Ana Filipa Rego arego@negocios.pt 15 de Junho de 2005 às 11:49
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A margem de EBITDA da Vivo, controlada pela Portugal Telecom em conjunto com a Telefónica, poderá ficar abaixo dos 30% no segundo trimestre, devido ao esforço da empresa brasileira para angariar mais clientes, consideram a Espírito Santo Research.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), regulador brasileiro, divulgou ontem dados preliminares que indicam que a base de clientes de telemóveis no Brasil subiu para 73,7 milhões no mês de Maio. Este valor representa um crescimento de 40,7% face ao período homólogo e um total de 2,950 milhões de novos telefones vendidos, números que ficaram acima das previsões dos analistas da ESR.

No Iberian Daily da Espírito Santo Research, os analistas Rui Cesário Pereira e Nuno Pinto explicam que neste contexto, a Vivo terá conseguido, em Maio, entre 25 a 30% do total de novos clientes.

O crescimento de subscritores «continua a um nível mais forte do que as nossas previsões para 2005», explica a mesma fonte, acrescentando que as suas estimativas apontam para 81 milhões de clientes para Dezembro de 2005, um aumento de 25% «que poderá ser considerado conservador depois dos dados referentes a Maio».

Os especialistas acrescentam que o nível de crescimento de Maio «também mostra que a actividade comercial é bem forte no Brasil e que poderemos assistir a alguma pressão no EBITDA nas margens do segundo trimestre». Explicam que «é difícil antecipar conclusões claras mas, dado o forte nível de adição de subscritores, os potenciais subsídios à compra de telemóveis deverão ser maiores para alimentar um nível tão forte de aumento de clientes».

Neste sentido, acreditam que as margens de EBITDA deverão ficar abaixo dos 30% mas com mais clientes.

Os analistas e investidores olham com bastante atenção para as margens da PT [PTC] no Brasil, pois estas têm vindo a deteriora-se nos últimos trimestres, devido ao aumento da concorrência.

As acções da PT seguiam a descer 0,25% para os 7,98 euros.

Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias