Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Millennium bcp revê em alta recomendação da JM para «comprar»

O Millennium bcp investimento reviu em alta a recomendação para a Jerónimo Martins (JM), de «neutral» para «comprar», com um novo preço-alvo de 11,9 euros, de acordo com um «research» hoje emitido, que acrescenta que a JM é uma das suas escolhas para 2005

Sara Antunes saraantunes@negocios.pt 17 de Dezembro de 2004 às 12:38
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O Millennium bcp investimento reviu em alta a recomendação para a Jerónimo Martins (JM), de «neutral» para «comprar», com um novo preço-alvo de 11,9 euros, de acordo com um «research» hoje emitido, que acrescenta que a JM é uma das suas escolhas para 2005.

«O nosso preço-alvo sugere um potencial de valorização em torno dos 20% até ao final de 2005 para além de um dividendo provável de 0,30 euros a 0,35 euros já em 2005, representando cerca de 3,4% do preço actual», de acordo com os analistas do bcp.

«Destacamos ainda que a Jerónimo Martins é um dos nossos ‘stock picks’ para 2005.»

«Os supermercados e mini-hipermercados da JM deverão ser revitalizados por uma estratégia adequada apesar de um enquadramento legal menos favorável», acrescentam os mesmos responsáveis.

«O facto da posição competitiva da Unilever estar a deteriorar-se a nível europeu implicou prudência nas nossas estimativas para a divisão industrial da Jerónimo Martins», acrescentam os analistas, devido à incorporação da Unilever Besfoods Portugal na Fima por parte da JM e da parceria holandesa.

«No entanto, ‘feedback’ por parte da empresa sugere que as vendas e a margem de EBITDA já poderão ter alcançado os mínimos este ano».

Esta operação foi vista como «negativa» pelo BPI, que considera que os 80 milhões de euros investidos na cedência é um montante demasiado elevado para uma área não estratégica do grupo.

O bcp salienta ainda que a empresa não «parece especialmente cara face aos seus comparáveis europeus. Há algum valor especulativo associado ao direito de preferência da JM sobre a participação da Ahold na JMR, a possibilidade de cotação da Biedronka na Polónia no futuro e o facto da liquidez da empresa ter condições para aumentar», acrescenta a mesma fonte.

A Jerón9imo Martins [jmar] seguia a avançar 0,51%, para 9,90 euros, depois de ter valorizado já 1,12% esta sessão.

Outras Notícias