Research Mota-Engil dispara 6% após resultados operacionais em linha com expectativas

Mota-Engil dispara 6% após resultados operacionais em linha com expectativas

As acções da Mota-Engil estão a subir 6% na bolsa de Lisboa após a divulgações dos resultados operacionais de 2015. Os resultados ficaram em linha ou ligeiramente abaixo do esperado pelos analistas.
Mota-Engil dispara 6% após resultados operacionais em linha com expectativas
Bruno Simão
Vera Ramalhete 18 de março de 2016 às 11:25

A Mota-Engil revelou esta quinta-feira que registou um volume de negócios superior a 2,4 mil milhões de euros em 2015, o que significa um aumento de 2% face ao ano anterior. Os resultados operacionais convenceram os investidores, ainda que não tenham surpreendido os analistas. Na primeira sessão após a publicação destas contas preliminares não auditadas, as acções da construtora estão a subir mais de 6%, na bolsa de Lisboa.

Os títulos avançaram já um máximo de 7,30% para 1,91 euros, durante a sessão desta sexta-feira, o valor mais alto desde 5 de Janeiro. Seguem a subir 5,96% para 1,888 euros. Os resultados ficaram em linha com as estimativas do Haitong Bank, mas ligeiramente abaixo das expectativas do CaixaBI e não impressionaram o BPI.

O volume de negócios situou-se nos 2,4 mil milhões de euros, face aos 2,45 milhões de euros estimados pelo CaixaBI. A carteira de encomendas situou-se 200 milhões de euros abaixo das previsões da unidade de investimento da Caixa Geral de Depósitos. A margem dos lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) também está meio ponto percentual abaixo do esperado. A dívida líquida, que caiu 6%, ficou 50 milhões de euros acima do esperado pelo analista do CaixaBI.

Positivamente, o banco destaca o sinal de que o processo de venda de parte da participação na Ascendi "continua em curso e que é esperado que seja concluído no decurso dos próximos trimestres". A venda contribuiria para "a redução do perfil de risco financeiro da Mota-Engil", diz José Mota Freitas.

Contexto desafiante 

O Haitong considera que estes resultados têm um impacto "neutral", uma vez que o EBITDA e a dívida líquida ficaram em linha com as estimativas do banco. O banco de investimento mantém a recomendação "neutral" para as acções, porque "a actividade pode ser afectada pelo contexto macro desafiante nas regiões onde está presente", alerta o analista Nuno Estácio, que indica ainda preocupações com o nível de endividamento elevado, apesar da recente venda de activos.

"Não é um conjunto de resultados operacionais muito impressionantes no quarto trimestre, com o EBITDA 3% abaixo do consenso e uma queda de 5% nas encomendas relativamente ao trimestre anterior", resume o BPI. Os analistas do banco destacam positivamente a redução da dívida líquida.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI