Research Santander defende que consolidação já está reflectida na cotação do BPI

Santander defende que consolidação já está reflectida na cotação do BPI

Os analistas do banco espanhol baixaram a recomendação após a recuperação das acções nas últimas sessões. E dizem que o risco/recompensa para apostar na consolidação é agora “menos atractivo”.
Santander defende que consolidação já está reflectida na cotação do BPI
Miguel Baltazar/Negócios
Rui Barroso 18 de março de 2016 às 13:06

O Santander cortou a recomendação para as acções do BPI de "comprar" para "manter" e manteve o preço-alvo de 1,20 euros. A revisão em baixa ocorre um mês e meio depois do banco espanhol ter melhorado a recomendação para as acções do banco liderado por Fernando Ulrich. É justificada pela forte recuperação das acções e pela menor relação entre o risco e recompensa para aproveitar as perspectivas de consolidação.

A equipa de analistas do Santander explica que desde que melhoraram o BPI de manter para comprar, a 5 de Fevereiro, as acções subiram 39%, ultrapassando o desempenho do índice europeu do sector em quase 35%. Explicam que esta recuperação foi motivada pelo aumento da probabilidade de um acordo entre o CaixaBank e a Santoro. E referem as indicações dadas pela imprensa portuguesa, de que os dois maiores accionistas do BPI estão perto de um acordo que poderá resultar numa oferta do CaixaBank pelo banco português e uma posterior venda da posição maioritária no BFA.

No entanto, dada a evolução das acções, o Santander acredita que "o risco/recompensa é agora menos atractivo já que as perspectivas de consolidação estão significativamente reflectidas no preço". Os analistas do banco espanhol calculam que uma potencial oferta pelo BPI poderá situar-se entre 1,329 euros, o valor oferecido pelo CaixaBank no ano passado, e 1,51 euros.

"Aos preços actuais há um potencial de entre 3% a 17% o que, na nossa perspectiva, não compensa o risco do acordo falhar ou do preço final ficar abaixo dos nossos cálculos", referem os analistas do Santander. "Assim, baixamos a nossa recomendação de comprar para manter", concluem.

As acções do BPI estão inalteradas em 1,295 euros.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI