Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

UBS diz que consolidação na Sonaecom faz sentido

As acções da Sonaecom estão hoje de novo em forte alta, com uma subida acima de 6%, devido à especulação de que a empresa vai integrar um movimento de consolidação no sector das telecomunicações em Portugal. Um cenário que para o UBS faz todo o sentido e gerará valor.

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 03 de Junho de 2010 às 09:43
  • Assine já 1€/1 mês
  • 11
  • ...
As acções da Sonaecom estão hoje de novo em forte alta, com uma subida acima de 6%, devido à especulação de que a empresa vai integrar um movimento de consolidação no sector das telecomunicações em Portugal. Um cenário que para o UBS faz todo o sentido e gerará valor.

As acções da Sonaecom fecharam ontem a subir mais de 8% e hoje seguem em alta de 6,52% para 1,47 euros, devido à especulação de que, se a PT avançar para a venda da Vivo, acontecerá um movimento de consolidação em Portugal no sector das telecomunicações.

O UBS analisa este cenário num “research” hoje publicado, afirmando que “faz todo o sentido” a Sonaecom integrar um movimento de consolidação.

Se a PT alienar a Vivo à Telefónica, ficará com uma forte posição em “cash” e um negócio em queda em Portugal, pelo que um movimento de consolidação doméstico “pode bem ser uma fonte de criação de valor”.

Lembrando que em 2007 a Sonaecom tentou comprar a PT numa OPA que não teve sucesso, o UBS afirma que existe nesta altura “um leque alargado de cenários de consolidação que podem ocorrer no mercado português”.

O banco de investimento calcula as sinergias em mil milhões de euros e considera que a PT pode não ser a única companhia interessada na Sonaecom, uma vez que também a Zon pode beneficiar com o negócio.

O UBS avalia a Sonaecom em 2,50 euros por acção, um “target” que integra 0,65 euros para reflectir um cenário de a empresa liderada por Ângelo Paupério integrar um movimento de consolidação, partilhando metade das sinergias captadas com a operação.

Excluindo este cenário, a Sonaecom é avaliada em 1,85 euros, ainda acima da actual cotação, pelo que o UBS diz que as acções estão “baratas” e a negociar a desconto. A recomendação é de “comprar”.

Ver comentários
Outras Notícias