Câmbios Do colapso da libra ao disparo do iene. Como o Brexit levou o caos ao mercado cambial

Do colapso da libra ao disparo do iene. Como o Brexit levou o caos ao mercado cambial

A moeda que já deu ganhos de milhões a Soros voltou a ter uma quebra histórica. Investidores refugiaram-se no iene numa das sessões mais voláteis de sempre no mercado cambial.
Do colapso da libra ao disparo do iene. Como o Brexit levou o caos ao mercado cambial
Rui Barroso 24 de junho de 2016 às 19:12

"Dizer que [o Brexit] foi um choque para os mercados financeiros é dizer pouco. E quem quiser um sumário numa única linha basta olhar para o desempenho da libra", referiram os analistas do Deustche Bank numa nota divulgada aos investidores logo no início da sessão. A divisa britânica foi uma das muitas baixas nos mercados financeiros esta sexta-feira. A moeda chegou a desvalorizar 11,08% face à nota verde para 1,3229 dólares. No fecho da sessão na Europa seguia a perder 7,61% para 1,3745 dólares. Teve a maior quebra de sempre e negociou em mínimos de mais de 30 anos.  

"Assistimos ao maior colapso diário da libra na era moderna", constataram os analistas do Commerzabnk numa nota a investidores. A dimensão da quebra foi maior do que em 1992, quando George Soros quebrou o Banco de Inglaterra ao apostar na quebra da libra, obrigando o Reino Unido a sair do mecanismo europeu de taxas de câmbio. Nessa quarta-feira negra de 92, a libra tinha descido cerca de 4%. Os analistas do banco alemão explicam a quebra histórica desta sexta-feira com "o facto de o mercado estar completamente errado sobre o resultado do referendo".

Mas a libra não protagonizou a única grande oscilação no mercado cambial, numa sessão de nervos à flor da pele. Os investidores procuraram refúgio no iene, no dólar norte-americano e no franco suíço. Em relação à moeda única, a divisa nipónica avança 5,95%. Cada euro vale 114,03 ienes. Mas o iene já esteve a valorizar mais de 10% e é mesmo, entre as maiores divisas, a que mais avança esta sexta-feira.

Antes de se conhecer o resultado do referendo, os analistas já antecipavam que em caso de Brexit o iene saísse beneficiado. "Tem sido a moeda de refúgio preferida e a sua correlação com a volatilidade tem aumentado recentemente", referiam os especialistas do Natixis. Um factor que causa um problema ao Banco do Japão que pretende que a moeda baixe de forma a estimular a inflação e o crescimento. As autoridades nipónicas já prometeram intervir no mercado para prevenir oscilações na moeda. Mas foram palavras em vão, com o mercado a questionar os limites da política monetária no império do sol nascente.

Outro dos portos de abrigo em tempos de instabilidade é o franco suíço. A moeda helvética ganhou 0,77% face à moeda única, negociando em 0,9213 euros. Também o dólar valoriza, apesar da queda a pique da probabilidade atribuída pelo mercado à subida da taxa de juro por parte da Reserva Federal dos EUA ainda este ano. A nota verde ganha 2,01%, negociando em 0,8962 euros. 

Variação das principais divisas mundiais contra o euro:






pub

Marketing Automation certified by E-GOI