Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Euro desvaloriza 0,5% com medo que crise da dívida se estenda à Itália

Moeda única desce a mínimo de duas semanas, mesmo com a reunião marcada entre as mais altas autoridades das Finanças da Zona Euro.

Diogo Cavaleiro diogocavaleiro@negocios.pt 11 de Julho de 2011 às 08:08
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
O euro está a desvalorizar mais de 0,5% em relação ao dólar, com receios de que a crise da dívida da Europa não se fique pelos países que já receberam ajuda externa e que se possa estender também à Itália.

A moeda única europeia desliza 0,53% para transaccionar a 1,4189 dólares. A tendência durante o dia de hoje tem sido de descida, tendo já tocado nos 1,4176, valor que não era marcado desde o final de Junho.

Há duas semanas, o euro começou a ganhar terreno com a aprovação, no Parlamento da Grécia, das medidas de austeridade para que a nação pudesse receber a quinta tranche da ajuda externa. Aliás, nesse período, houve um total de seis dias sem que o euro perdesse valor face à moeda norte-americana. Nesse sentido, começou a semana passada acima dos 1,45 dólares.

Contudo, o corte de “rating” da Moody’s a Portugal, na terça-feira, levou a que o euro depreciasse. Caiu em três das cinco sessões da semana passada e começou esta semana também a cair.

Os últimos desenvolvimentos devem-se à intensificação dos receios de que a Itália possa ser a próxima vítima numa crise que já levou ao resgate da Grécia, da Irlanda e de Portugal.

“A Itália é uma economia muito grande, e se assistirmos, de facto, a um contágio à Itália, então o Banco Central Europeu, a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional vão precisar de pensar num plano totalmente diferente para lidar com isso”, disse à Bloomberg Khoon Goh, chefe da economia de mercado no ANZ National Bank.

Hoje, antes do encontro mensal dos ministros das Finanças europeus, haverá uma reunião, que deverá discutir a situação na Grécia, entre o presidente da União Europeia, Herman Van Rompuy, Durão Barroso, presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Trichet, presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Juncker, líder do Eurogrupo, e ainda o comissário europeu para os Assuntos Económicos, Olli Rehn.

A incerteza na Europa leva o euro a desvalorizar, mesmo apesar de os Estados Unidos estarem igualmente numa posição delicada. Depois de ter sido anunciada uma taxa de desemprego de 9,2%, a mais alta dos últimos nove meses, voltou a intensificar-se o receio de um incumprimento, já que Republicanos e Democratas ainda não se entenderam sobre o aumento do limite da dívida.

Ver comentários
Saber mais euro dólar câmbio Zona Euro Itália EUA Estados Unidos
Outras Notícias