Crédito Avaliação bancária das casas atinge máximo histórico em março

Avaliação bancária das casas atinge máximo histórico em março

O valor da avaliação que é utilizada pelos bancos para a concessão de crédito voltou a subir em março. Tocou no valor mais elevado desde que estes dados começaram a ser publicados, no quarto trimestre de 2002.
Avaliação bancária das casas atinge máximo histórico em março
lusa
Raquel Godinho 26 de abril de 2019 às 11:07
Não há sinais de abrandamento. Desde abril de 2017 que a avaliação bancária média, a nível nacional, está a aumentar, revelam os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). Em março, atingiu os 1.247 euros por metro quadrado, o que representa o valor mais elevado desde que estes dados começaram a ser publicados, no quarto trimestre de 2002. O segundo valor mais elevado da série (1.245 euros por metro quadrado) foi atingido no quarto trimestre de 2006.

Há 24 meses consecutivos que sobe o valor médio da avaliação que é considerada pelos bancos para a concessão de crédito. "O valor médio de avaliação bancária foi 1.247 euros em março, mais oito euros que o observado no mês precedente. Este valor representa um aumento de 0,6% relativamente a fevereiro e de 6,9% face ao mesmo mês do ano anterior", revela o INE.

O Negócios recolheu todo o histórico da avaliação bancária desde que este indicador começou a ser publicado. E esta análise revela que o valor de março foi o mais elevado de sempre, isto é, desde o quarto trimestre de 2002. O anterior recorde de 1.245 euros por metro quadrado tinha sido atingido no quarto trimestre de 2006.

A nível regional, a maior subida registou-se no Centro (1,4%), sendo que a única descida ocorreu na Região Autónoma da Madeira (-1,9%). Face ao período homólogo, o valor médio das avaliações subiu 6,9%, tendo o valor de apartamentos e de moradias aumentado 8,4% e 4,7%, respetivamente.

"A taxa de variação homóloga mais elevada para o conjunto das avaliações verificou-se no Algarve (12,6%) e a menor na Região Autónoma dos Açores (1,7%)", sublinhou o INE.

Por tipologia de habitação, nas moradias, o valor médio de avaliação subiu três euros, para 1.128 euros por metro quadrado, enquanto nos apartamentos, atingiu os 1.320 euros por metro quadrado. Nos apartamentos, "o valor mais elevado foi observado na região do Algarve (1.665 euros por metro quadrado) e o mais baixo no Alentejo (1.038 euros por metro quadrado)", frisa o INE.

Face a fevereiro, o valor da avaliação bancária nos apartamentos subiu 0,8%, tendo o Centro registado a maior subida (1,4%) e a Região Autónoma da Madeira a única descida (-1,7%). Face ao mesmo mês do ano passado, o Algarve apresentou o maior crescimento (13,7%) e a Região Autónoma dos Açores a única descida (-1,0%).


(Notícia atualizada às 11:27 com mais informação)



pub

Marketing Automation certified by E-GOI