Crédito Crédito automóvel recua para mínimo de dois anos

Crédito automóvel recua para mínimo de dois anos

O crédito automóvel baixou 6% para 677,2 milhões de euros no primeiro trimestre. É o valor mais baixo desde o primeiro trimestre de 2017.
Crédito automóvel recua para mínimo de dois anos
Reuters
Nuno Carregueiro 15 de maio de 2019 às 12:12

O crédito ao consumo em Portugal voltou a travar em março, com uma queda homóloga de 7% para 617 milhões de euros, revelam os dados do Banco de Portugal que foram divulgados esta quarta-feira, 15 de maio.

É no segmento automóvel que o abrandamento está a ser mais intenso, refletindo a queda nas vendas de automóveis que se verifica nos últimos meses. Em março o crédito para compra de carros baixou 9,7% para 238 milhões de euros.

As contas do acumulado do crédito concedido no primeiro trimestre de 2019 ainda evidenciam de forma mais marcada a travagem no recurso aos portugueses a financiamento para compra de carro e outros bens e serviços de consumo. Uma travagem que surge depois dos máximos atingidos ao longo do ano passado.

Nos primeiros três meses deste ano o crédito ao consumo (pessoal, automóvel e cartões de crédito) totalizou 1.760 milhões de euros, o que traduz um recuo de 2,2% face ao período homólogo e representa o volume mais reduzido desde o terceiro trimestre de 2017.

No crédito automóvel o financiamento atingiu 677,2 milhões de euros. Trata-se do valor mais baixo desde o primeiro trimestre de 2017 e traduz uma queda homóloga de 6%.

Esta descida no crédito automóvel no primeiro trimestre do ano aconteceu num período em que as vendas de carros novos em Portugal desceram 4,7%. Foi a maior queda num primeiro trimestre desde 2012.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI