Crédito Incumprimento das famílias atinge mínimos de nove anos

Incumprimento das famílias atinge mínimos de nove anos

A concessão de crédito às famílias está a aumentar, mas o incumprimento está a diminuir, atingindo mesmo o nível mais baixo desde 2010.
Incumprimento das famílias atinge mínimos de nove anos
Miguel Baltazar/Negócios
Sara Antunes 02 de julho de 2019 às 11:51

O crédito malparado das famílias voltou a diminuir em maio para 3,2% do total de financiamentos concedidos, revelam os dados divulgados esta terça-feira, 2 de julho, pelo Banco de Portugal.


Este rácio representa o menor nível de incumprimento desde o segundo trimestre de 2010, de acordo com a mesma fonte.

 

A contribuir para esta redução – em abril estava nos 3,3% - estiveram os dois grandes destinos de financiamento (habitação e consumo). No caso do crédito ao consumo, o incumprimento desceu para 2,1% dos empréstimos. Já no crédito ao consumo recuou para 7,3%.

 

Já os empréstimos concedidos aumentaram 0,7% em maio para quase 124 mil milhões de euros. "Por finalidade, a taxa de variação anual (tva) do crédito à habitação aumentou 0,2 pp, para -0,5%. A tva do consumo e outros fins, manteve-se em 5,3%", revela o Banco de Portugal. 

 

Entre as empresas, o incumprimento subiu ligeiramente para 9% dos empréstimos, quando no primeiro trimestre o rácio tinha diminuído para 8,9%, o que representou o valor mais baixo desde o primeiro trimestre de 2012.

 

"Em maio de 2019, a tva dos empréstimos concedidos às sociedades não financeiras aumentou 0,4 pontos percentuais (pp), face ao mês anterior, para -0,6%", acrescenta o BdP. "As empresas exportadoras privadas registaram uma tva de -2,0%, menos 0,2 pp que no mês anterior."




pub

Marketing Automation certified by E-GOI