Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Juros a 10 anos caem há 10 sessões consecutivas

As taxas de juro implícitas na dívida pública portuguesa estão em queda na generalidade dos prazos e a "yield" implícita nas obrigações com prazo de 10 anos caem há já 10 dias. e estão prestes a baixar da fasquia dos 10%.

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 08 de Agosto de 2012 às 12:41
  • Assine já 1€/1 mês
  • 23
  • ...
A taxa implícita nas obrigações com prazo de 10 anos recua dois pontos base para 10,028% naquela que é a décima sessão consecutiva em queda, segundo as taxas de juro genéricas da Bloomberg.

Na emissão a cinco anos, a taxa implícita recua 15,4 pontos base para 8,907%, enquanto a “yield” das obrigações cmo maturidade a dois anos declina 10,5 pontos base para 5,798%.

No prazo de dois anos, a taxa implícita prolonga a queda de mais de 200 pontos base que acumulou nas três sessões que terminararam ontem. No entanto, a tendência de queda dos juros tem sido generalidade nos diversos prazos e prolonga-se há mais tempo.

A Bloomberg publicou esta semana uma análise em que revela que a dívida portuguesa teve o melhor desempenho dos últimos sete meses, entre 26 mercados que a agência líder em informação financeira acompanha. Nas obrigações, os juros oscilam em sentido contrário ao seu preço.

A descida de hoje dos juros nacionais contrasta com a subida das taxas implícitas nas obrigações de Espanha e Itália. Os juros implícitos na dívida do Governo madrileno a 10 anos sobem oito pontos base para 6,940% e a “yield” a cinco anos ascende 18,3 pontos base para 5,755%. A taxa de juro a dois anos ascende 16,7 pontos bae para 4,019%.

Os juros de Itália a 10 anos estão inalterados nos 5,971% e a no prazo de cinco anos avançam 3,1 pontos base para 4,963%. Na emissão a dois anos a subida é de 11,7 pontos base para 3,306%.

Em baixa estão ainda os juros da Alemanha. A “yield” a 10 anos cai cinco pontos base para 1,43%, depois de o Governo alemão ter dado conta de uma deterioração das exportações do país em Junho. O dado económico desanimador levou os investidores a procurarem refúgio em activos sem risco, como é o caso das obrigações alemãs.

Ver comentários
Saber mais juros dívida obrigações mercado secundário
Outras Notícias