Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Juros da dívida a cinco e 10 anos recuam para mínimos Dezembro de 2010

As obrigações portuguesas estão a valorizar no mercado secundário e levaram já a “yield” implícita nas emissões de cinco e 10 anos a renovar mínimos de Dezembro de 2010.

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 11 de Janeiro de 2013 às 09:14

A descida dos juros é mais acentuada nas obrigações com um prazo mais breve para a maturidade. Contudo, é em prazos mais longos - de cinco e 10 anos - que se renovam mínimos de mais de 24 meses.

 

A “yield” da dívida a 10 anos recua 2,4 pontos base para 6,237% e renova um mínimo de Dezembro de 2010, segundo as taxas genéricas da Bloomberg para o mercado secundário de dívida pública.

 

A taxa de juro implícita na dívida a cinco anos também revisita mínimos do mesmo mês, com a “yield” a cair 7,1 pontos base para 4,955%. Na dívida a dois anos a descida é de 12,9 pontos base para 3,2446%.

 

Os juros da dívida pública portuguesa estão a recuar num dia em que está previsto um leilão de dívida, em Itália. O montante a colocar é relativamente baixo e o resultado da operação não deverá tirar o apetite dos investidores pelo risco, segundo explicou um operador do mercado de dívida à Reuters.

 

“O leilão italiano é bastante pequeno por isso presumivelmente irá correr bem para Itália. E a [dívida da] periferia deverá negociar suportada [pelo resultado do leilão], pelo que a dívida alemã pode apresentar alguma fragilidade”, disse um operador do mercado consultado pela agência norte-americana.

 

Na obrigações, os juros implícitos oscilam em sentido contrário ao preço dos títulos. As obrigações alemãs, conhecidas como “bunds”, são vistas como um activo de refúgio pelos investidores com exposição à Zona Euro.

 

No final da reunião de quinta-feira, o Banco Central Europeu anunciou que vai manter a taxa de juro inalterada nos 0,75% e disse antecipar um regresso da economia da Zona Euro ao crescimento no final de 2013. Uma perspectiva que suportou o apetite dos investidores pelo risco e levou os juros da dívida alemã a subir.

Ver comentários
Saber mais juros dívida obrigações dívida
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio